Comentário ao Artigo de M. Borissov sobre o Movimento Sindical e as Tarefas da Social-Democracia

V. I. Lênin

17 (4) de Outubro de 1905


Primeira Edição: Proletari, n.° 21, 17 (4) de outubro de 1905. Encontra-se in Obras, t. IX, pág. 344.
Fonte: Editorial Vitória Ltda., Rio, novembro de 1961. Traduzido por Armênio Guedes, Zuleika Alambert e Luís Fernando Cardoso, da versão em espanhol de Acerca de los Sindicatos, das Ediciones em Lenguas Extranjeras, Moscou, 1958. Os trabalhos coligidos na edição soviética foram traduzidos da 4.ª edição em russo das Obras de V. I. Lênin, publicadas em Moscou pelo Instituto de Marxismo-Leninismo, anexo ao CC do PCUS. As notas ao pé da página sem indicação são de Lênin e as assinaladas com Nota da Redação foram redigidas pelos organizadores da edição do Instituto de Marxismo-Leninismo. Capa e planejamento gráfico de Mauro Vinhas de Queiroz. Pág: 175.
Transcrição e HTML: Fernando A. S. Araújo.
Direitos de Reprodução: A cópia ou distribuição deste documento é livre e indefinidamente garantida nos termos da GNU Free Documentation License.

capa

Incluímos com satisfação esse artigo de um camarada que atua na Rússia, pois o exame multilateral do problema relativo aos sindicatos figura hoje na ordem-do-dia. Só a experiência de todo o Partido, iluminada constantemente pela teoria do marxismo, pode ajudar a elaborar a organização das formas dos sindicatos social-democratas nos moldes mais adequados às condições da Rússia. Também é preciso aproveitar as lições que nos são dadas pelos inimigos. A burguesia de todo o mundo cantou vitória, em virtude das tendências “gremiais” do Congresso de Colônia, acreditando em poder afastar os operários do socialismo, a fim de desviá-los para o trade-unionismo “puro”, isto é, burguês. Na Rússia, inclusive Moskovskie Viedomosti aprendeu agora esta cantilena. E se a burguesia começa a entoar loas a alguns de nós por sua “lucidez” ou seu “cuidado” no que se relaciona a um movimento sindical “sensato”, isso é indício seguro de que há falhas em nosso trabalho. O camarada M. Borissov coloca a questão precisamente com o objetivo de cumprir em todos os sentidos o nosso dever socialista, sem incorrer de modo algum em semelhantes falhas.

Compartilhe este texto:
Início da página
 
Visite o MIA no Facebook
 

Inclusão 16/11/2012