Decisão do Comitê Executivo do Soviete de Deputados Operários de Petersburgo Sobre a Luta Contra o Lockout

V. I. Lênin

14 (27) de Novembro de 1905


Primeira Edição: Novaia Jizn, n.° 13, 15 de novembro de 1905. Encontra-se in Obras, t. X, págs. 32/33.
Fonte: Editorial Vitória Ltda., Rio, novembro de 1961. Traduzido por Armênio Guedes, Zuleika Alambert e Luís Fernando Cardoso, da versão em espanhol de Acerca de los Sindicatos, das Ediciones em Lenguas Extranjeras, Moscou, 1958. Os trabalhos coligidos na edição soviética foram traduzidos da 4.ª edição em russo das Obras de V. I. Lênin, publicadas em Moscou pelo Instituto de Marxismo-Leninismo, anexo ao CC do PCUS. As notas ao pé da página sem indicação são de Lênin e as assinaladas com Nota da Redação foram redigidas pelos organizadores da edição do Instituto de Marxismo-Leninismo. Capa e planejamento gráfico de Mauro Vinhas de Queiroz. Pág: 180-181.
Transcrição e HTML: Fernando A. S. Araújo.
Direitos de Reprodução: A cópia ou distribuição deste documento é livre e indefinidamente garantida nos termos da GNU Free Documentation License.

capa

Cidadãos:

Mais de cem mil operários foram despedidos em Petersburgo e outras cidades.

O governo autocrático declarou guerra ao proletariado revolucionário. A burguesia reacionária une-se à autocracia com o objetivo de obrigar os operários, pela fome, a se submeterem e fazer fracassar a luta pela liberdade.

O Soviete de Deputados Operários declara que essa extraordinária dispensa de operários em massa é uma provocação por parte do governo. O governo quer instigar o proletariado de Petersburgo a levar a cabo explosões isoladas; o governo pretende aproveitar-se do fato de que os operários de outras cidades ainda não se uniram suficientemente aos operários de Petersburgo para derrotar uns e outros separadamente.

O Soviete de Deputados Operários declara que a causa da liberdade está em perigo. Mas os operários não se deixarão arrastar por esta provocação do governo. Os operários não aceitarão a batalha em condições desfavoráveis, como o governo lhes quer impor. Devemos fazer, e faremos, todos os esforços para coordenar a luta do proletariado de toda a Rússia, do campesinato revolucionário, do exército e da marinha que já se sublevam heroicamente no combate pela liberdade.

A vista disso, o Soviete de Deputados Operários resolve:

  1. Todas as fábricas fechadas devem ser abertas imediatamente, e todos os camaradas despedidos devem ser readmitidos. Convida-se a todos os setores do povo que amam a liberdade não de palavras, mas de fato, a apoiar essa exigência.
  2. Para isso, o Soviete de Deputados Operários considera necessário obter a solidariedade de todo o proletariado da Rússia e, no caso de ser negativa a satisfação desta reivindicação, conclamá-lo para a greve política geral, assim como recorrer a outras formas de luta enérgica.
  3. Com o objetivo de preparar essa ação, o Soviete de Deputados Operários encarregou o Comitê Executivo de, quer enviando delegados quer através de outros meios, entrar imediatamente em contacto com os operários de outras cidades, com os sindicatos de ferroviários, dos Correios e Telégrafos, de camponeses, etc, bem como com o exército e a marinha.
  4. Realizado esse trabalho prévio, o Comitê Executivo convocará uma sessão extraordinária do Soviete de Deputados Operários com o objetivo de adotar uma decisão definitiva em relação à greve.
  5. O proletariado de Petersburgo propôs aos operários e a todos os setores da sociedade e do povo que apoiem por todos os meios materiais, morais e políticos, os operários despedidos.
Compartilhe este texto:
Início da página
 
Visite o MIA no Facebook
 

Inclusão 20/11/2012