Atitude de Herwegh e Ruge com Os Livres(1)

Karl Marx

29 de Novembro de 1842


Escrito: em Novembro de 1842;

Primeira Edição: Rheinische Zeitung, nº 333, 29 de novembro de 1842;

Fonte: Marx-Engels Collected Works, volume 1, p.287;
Tradução: Rafael Duarte Oliveira Venancio, janeiro de 2009.
HTML: Fernando A. S. Araújo, fevereiro de 2009.
Direitos de Reprodução: A cópia ou distribuição deste documento é livre e indefinidamente garantida nos termos da GNU Free Documentation License.


Berlin, 25 de novembro. O Elberfelder Zeitung e, por ele, a Didaskalia contém a notícia que Herwegh visitou a sociedade d’Os Livres, mas a encontrou abaixo de qualquer crítica. Herwegh não visitou essa sociedade e, então, não poderia encontrá-la nem abaixo nem sob qualquer crítica. Herwegh e Ruge acreditam que Os Livres estão comprometendo a causa e o partido da liberdade graças ao seu romantismo político, sua mania de genialidade e de bajulação, algo que foi francamente constatado por eles, talvez com alguma ofensa. Consequentemente, se Herwegh não visitou a sociedade d’Os Livres, que individualmente são pessoas excelentes em sua maioria, não foi porque ele defende outra causa, mas apenas porque, tal como alguém que quer estar livres das autoridades francesas, ele odeia e acha ridícula a frivolidade – o típico estilo berlinense de comportamento – e a insípida caricatura dos clubes franceses. A falta de educação e a amoralidade devem ser resolutamente repudiadas em um período que demanda pessoas sérias, másculas e sóbrias para conseguir o cumprimento de suas majestosas metas.

Compartilhe este texto:
Início da página
 
Visite o MIA no Facebook
 

Notas:

(1) Nota 106 do Volume 1 do MECW: Os Livres (Die Freien) —  Um grupo berlinense de Jovens Hegelianos foi formado em 1842. Entre seus membros proeminentes estavam Edgar Bauer, Eduard Meyen, Ludwig Buhl e Max Stirner (pseudônimo de Kaspar Schmidt). Suas críticas das condições prevalecentes eram abstratas e destituídas de conteúdo real revolucionário e ultraradical em sua forma; ele, frequentemente, menosprezava o movimento democrático. Subsequentemente muitos representantes d’Os Livres renunciaram ao radicalismo.
Quando Marx se tornou editor do Rheinische Zeitung, ele tomou medidas para prevenir que Os Livres utilizassem o jornal como porta-voz de suas declarações pseudorevolucionárias. Sobre esse conflito com Os Livres, veja a carta de Marx para Arnold Ruge, de 30 de novembro de 1842 (Volume 1 do MECW, p. 393-95). A notícia utiliza, quase palavra por palavra, a carta de Herwegh de 22 de novembro de 1842 para o Rheinische Zeitung. (retornar ao texto)

Inclusão 10/02/2009