Notícias da Prússia

Friedrich Engels

29 de Junho de 1844


Escrito: nos idos de junho de 1844;

Primeira Edição: The Northern Star, nº 346, de 29 de junho de 1844, com a nota editorial “Do nosso correspondente”;
Fonte: Marx-Engels Collected Works, volume 3, p. 530.
Tradução: Rafael Duarte Oliveira Venancio, dezembro de 2008.
HTML: Fernando A. S. Araújo, dezembro 2008.
Direitos de Reprodução: A cópia ou distribuição deste documento é livre e indefinidamente garantida nos termos da GNU Free Documentation License.


O povo conseguiu um grande triunfo; eles, através de sua firme oposição, forçaram o Rei(1) abandonar sua medida favorita, a nova lei proposta sobre o divórcio.(2) A lei atual sobre isso é muito liberal e, sem dúvida, nunca agradou o Rei cristão. Desde sua ascensão ao trono, ele era a favor dessa emenda que garantiria o divórcio em apenas poucos casos. A santidade do laço matrimonial deveria ser o mais estrito possível e abriria uma outra porta para as paróquias se intrometerem nos assuntos familiares das outras pessoas. O espírito nacional, no entanto, se levantou contra tal lei; a imprensa se opôs e quando um jornal democrático(3) teve sucesso em obter e publicar um rascunho autêntico da lei proposta, uma comoção geral tomou conta de todos os cantos do país.(4) Mesmo assim, o Rei persistiu em sua intenção. A lei foi proposta no Conselho Secreto, para ser preparada para os Parlamentos provinciais,(5) cuja sanção era necessária de acordo com a Constituição prussiana. Se já havia uma forte oposição no Conselho Secreto ou se o Rei já previa que sua medida jamais passaria pelos Parlamentos provinciais é algo difícil de decidir. No entanto, é suficiente saber que uma ordem, datada do dia 11 do presente mês, foi dirigida ao Conselho, retirando a lei, abandonando inteiramente o seu princípio e declarando que o Rei ficaria satisfeito com alterações em poucas formalidades da lei atual. Esse triunfo mais importante da oposição precisa ser fortalecido permanentemente pelo povo e ser celebrado em todos os cantos do reino. Isso mostrará ao povo que ele é forte e se ele for unido, ele poderá derrotar qualquer medida que o desagrade; Muito além do que o mero uso da força, ele poderá assustar o governo da forma que quiser. No distrito industrial de Silesia, várias revoltas sérias ocorreram; os trabalhadores do bairro, dependentes quase que inteiramente da manufatura do linho e que sofrem ao não serem capazes de competir contra o produto inglês feito à máquina, estão, já por algum tempo, em condição similar àquela dos tecelões manuais ingleses. Oprimidos pela competição, pelas máquinas e pelos patrões gananciosos, eles finalmente se rebelaram em Peterswalden (Silesia), demolindo a casa de um dono de tecelagem e só foram dispersos quando os militares chegaram. Em Langenbielau, ultrajes de mesma natureza aconteceram; os militares foram expulsos pela população e apenas restauraram a ordem após a chegada de reforços e de terem atirado contra os revoltosos, com várias mortes. Em outros distritos, tumultos aconteceram e até mesmo na capital da província (Breslau), a ordem foi perturbada. Assim, é evidente que as conseqüências do sistema fabril, do progresso do maquinário, entre outros, para as classes trabalhadoras são quase as mesmas tanto no continente como na Inglaterra: opressão e labuta para muitos, riqueza e fortuna para poucos; insegurança perante o futuro, descontentamento e revoltas existem nas colinas da Silesia, assim como nas cidades populosas de Lancashire e Yorkshire.(6)

Compartilhe este texto:
Início da página
 
Visite o MIA no Facebook
 

Notas:

(1) Nota do Tradutor: O Rei em questão é Frederick William IV. (retornar ao texto)

(2) Nota 237 do volume 3 do MECW: A referência feita é à Lei do Divórcio escrita em 1842 por Friedrich Savigny, um dos fundadores da escola reacionária histórica de direito, que foi Alto Chanceler da Prússia entre 1842 a 1848. (retornar ao texto)

(3) NT: O jornal em questão é o Rheinische Zeitung [Gazeta Renana]. (retornar ao texto)

(4) Nota 238 do volume 3 do MECW: Apesar da Lei do Divórcio ter sido mantida em segredo, o jornal Rheinische Zeitung editado por Marx publicou a Lei em 20 de outubro de 1842, iniciando assim uma discussão ampla sobre o assunto. Em 19 de dezembro, o artigo de Marx, A Lei do Divórcio, onde ele critica a Lei, foi publicado. A publicação da Lei no Rheinische Zeitung foi uma das razões da perseguição do jornal, que finalmente levou a seu empastelamento em Março de 1843. (retornar ao texto)

(5) Nota 239 do volume 3 do MECW: Landtags são as assembléias provinciais e locais estabelecidas na Prússia em 1823; elas eram compostas principalmente por representantes da nobreza; as comunidades urbanas e vilas tinham uma representatividade muito pequena. Landtags foram concebidas pelo Rei e suas funções eram restritas a discussões de leis e a questões de economia local e administrativas. (retornar ao texto)

(6) Nota 240 do volume 3 do MECW: Essa notícia teve o seguinte parágrafo adicionado pelos editores: “Acrescentando o escrito acima, nós reproduzimos o seguinte parágrafo do The Sun: ‘Soubemos que em Breslau, no dia 9 desse mês, os tecelões retornaram ao trabalho após obterem um aumento de salário. Eles derrubaram, durante suas passeatas, as portas das casas de vários caçadores e pegaram armas e munição, sem tocarem nos demais pertences”. (retornar ao texto)

Inclusão 17/01/2009
Última alteração 16/09/2011