Manifesto do Partido Comunista
Karl Marx e Friederich Engels
Link Avante

Anexo I
Única Página de Original Conservada do Rascunho do Manifesto do Partido Comunista (52)



capa

[Letra da senhora Marx (53)]

[Prole]tários, a favor da Bill(1*) das 10 horas sem partilhar as ilusões deles acerca dos resultados desta medida.

[Letra de Marx]

Vimos, aliás [que]:

Os comunistas não estabelecem nenhuma nova teoria da propriedade privada. Expressam apenas o facto histórico de que as relações de produção burguesas(2*), e com isso as relações de propriedade burguesas, <determinadas>(3*), não <são> mais <adequadas> ao desenvolvimento <soci> das forças de produção sociais, e portanto [...] <No desenvolvimento da própria indústria> e no [...].

Mas não brigueis connosco ao <contrapordes> medirdes a abolição da propriedade burguesa pelas vossas ideias burguesas de liberdade, cultura, etc.! As vossas próprias ideias <correspondem> são produtos das relações de produção e de propriedade burguesas <existentes>, assim como o vosso Direito é apenas a vontade da vossa classe elevada a Lei. <Uma> Uma vontade, cujo conteúdo está determinado pelas condições materiais de vida da vossa classe.

<A vossa> A representação interessada — de transformar <as> vossas relações de produção e [as vossas] relações de propriedade <burguesas>, de relações históricas <e apenas> transitórias que correspondem a um determinado estádio de desenvolvimento <amadurecimento das> das forças de produção em leis eternas da Natureza e da razão — partilhai-la com todas as classes dominantes que pereceram!

Aquilo que concebeis para a propriedade feudal, não o concebeis mais para a propriedade burguesa.

E, contudo, não podeis negar o facto de que <com a marcha> com o curso de desenvolvimento da indústria <burguesa>, o unilateral [...].

Os comunistas não estabelecem nenhuma nova teoria da propriedade. Expressam um facto. Vós negais os factos mais contundentes. Tendes de os negar. Sois utopistas virados para trás.


Anexo II
Projecto de Plano para a Terceira Secção (54)

1) Sistemas criticamente utópicos. (Comunistas).

2)

 

1) O socialismo reaccionário, feudal, religioso-pequeno-burguês.

2) O socialismo burguês.

3) Os sistemas da literatura crítico-utópica. Owen, Cabet, Weitling, Fourier, St. Simon, Babeuf.

4) A literatura imediatamente de partido.

5) A literatura comunista.

3) O socialismo alemão-filosófico(4*).

Compartilhe este texto:
Início da página
 
Visite o MIA no Facebook
 

Notas:

(1*) Em inglês no texto: lei. (N. da Ed.) (retornar ao texto)

(2*) Marx escreveu primeiro, e riscou: as relações de produção. (N. da Ed.) (retornar ao texto)

(3*) Doravante entre <> algumas das palavras riscadas por Marx no manuscrito. (N. da Ed.) (retornar ao texto)

(4*) Este ponto figura à margem, Marx alterou depois, em conformidade, a numeração das últimas três alíneas. (N. da Ed.) (retornar ao texto)

Inclusão 12/02/2005