O Conselho Geral da Associação Internacional dos Trabalhadores — Aos Membros do Comitê da Secção Russa em Genebra[N114]

Karl Marx

24 de Março de 1870

Link Avante

Primeira Edição: Publicado no jornal Naródnoe Delo, Genebra, n.° 1, 15 de Abril de 1870.
Fonte: Obras Escolhidas em três tomos, Editorial "Avante!"
Tradução: José OLIVEIRA (Publicado segundo o texto do jornal. Traduzido do russo.)
Transcrição e HTML: Fernando A. S. Araújo, Setembro 2008.
Direitos de Reprodução: © Direitos de tradução em língua portuguesa reservados por Editorial "Avante!" - Edições Progresso Lisboa - Moscovo, 1982.


capa

Cidadãos!

Na sua sessão de 22 de Março o Conselho Principal(1*) declarou, por voto unânime, que o vosso programa e o estatuto estão de acordo com os estatutos gerais da Associação Internacional dos Trabalhadores. Ele apressou-se a aceitar o vosso ramo na Internacional. Eu aceito com prazer o honroso dever, que me propondes, de ser o vosso representante junto do Conselho Principal.

Dizeis no vosso programa:

«... que o jugo imperial que oprime a Polónia é um entrave que obsta à liberdade política e social de ambos os povos — tanto o russo como o polaco».

Poderíeis acrescentar que a apropriação violenta da Polónia pela Rússia é um sustentáculo funesto e a verdadeira causa da existência do regime militar na Alemanha e, em consequência disso, em todo o continente. Por isso, ao trabalhar para quebrar as cadeias da Polónia, os socialistas russos tomam sobre si a elevada tarefa que consiste na aniquilação do regime militar, aniquilação que é essencialmente necessária como condição prévia para a libertação geral do proletariado europeu.

Há alguns meses enviaram-me de Petersburgo a obra de Fleróvski A Situação da Classe Operária na Rússia. É uma verdadeira descoberta para a Europa. O optimismo russo, divulgado no continente mesmo pelos chamados revolucionários, é implacavelmente desmascarado nesta obra. O seu mérito não sofrerá se eu disser que em algumas passagens não satisfaz plenamente à crítica do ponto de vista puramente teórico. É uma obra de um observador sério, de um trabalhador denodado, de um crítico imparcial, de um vigoroso artista e, antes de mais, de um homem indignado com a opressão em todas as suas formas, que não tolera os hinos nacionais de toda a espécie e partilha apaixonadamente todos os sofrimentos e todas as aspirações da classe produtora.

Obras como a de Fleróvski e como a do vosso mestre Tchernichévski fazem a verdadeira honra da Rússia e demonstram que o vosso país também começa a participar no movimento geral do nosso século.

Saudações e fraternidade

Karl Marx Londres, 24 de Março de 1870.

Compartilhe este texto:
Início da página
 
Visite o MIA no Facebook
 

Notas de rodapé:

(1*) Conselho Geral. (retornar ao texto)

Notas de fim de tomo:

[N114] A Secção Russa da I Internacional foi fundada na Primavera de 1870 na Suíça por um grupo de refugiados políticos russos —jovens democratas, raznotchínets (intelectuais não pertencentes à nobreza), educados nas ideias dos grandes democratas-revolucionários Tchernichévski e Dobroliúbov. A 12 de Março de 1870 o Comité da Secção enviou ao Conselho Geral o seu programa e os seus estatutos, e uma carta a Marx pedindo-lhe que fosse o seu representante no Conselho Geral da Associação Internacional dos Trabalhadores.
Na reunião do Conselho Geral de 22 de Março de 1870 a Secção Russa foi admitida na Internacional, e Marx aceitou a responsabilidade de a representar no Conselho Geral. Os membros da Secção Russa participaram activamente no movimento operário suíço e internacional. A Secção realizou tentativas para estabelecer ligações com o movimento revolucionário na própria Rússia. A Secção deixou de existir em 1872. (retornar ao texto)

Inclusão 21/09/2008