Carta ao jornal France Soir
Última carta pública para esclarecer os pontos

Natalia Sedova Trotski

9 de Novembro de 1961


Fonte: 1961-11-09: Natalia Sedova Trotski au journal France Soir.
Fonte primária: ROUSSEL Jacques, Les enfants du prophète (Histoire du mouvement trotskiste en France), Spartacus 1972.
Tradução para o português da Galiza: José André Lôpez Gonçâlez. Dezembro, 2013.
HTML:
Fernando A. S. Araújo.
Direitos de Reprodução: Licença Creative Commons licenciado sob uma Licença Creative Commons.

Senhor Diretor,

Na entrevista dada polo Sr. Michel Gordey e publicada no France-Soir na segunda-feira, 7 de novembro, é dito no segundo parágrafo:

"Ela (ou seja, eu) espera, antes de morrer, assistir à reabilitação polo comunismo mundial que ele (Trotski), que foi, depois de Lenine, o maior revolucionário dos tempos modernos e pai espiritual de  Mao Zedong, o líder comunista chinês."

Estas palavras não me pertencem; foram apresentadas polo editor da entrevista. Estou, portanto, obrigada a declarar o seguinte:

1- Um grande revolucionário como Leon Trotski, não pode de modo algum ser o pai de  Mao Zedong, que ganhou a sua posição na China, em luita direta com a Oposição de Esquerda (trotskista) e foi consolidado com o assassinato e a perseguição dos revolucionários, como fez Chiang Kai-shek. Os pais espirituais de  Mao Zedong e do seu partido são, obviamente, Estaline (ele também se afirma como tal) e os seus colaboradores, incluindo Khrushchev.

2. - Eu acho que o atual regime chinês, como o regime russo ou outro construído sobre o modelo dele, estão tão longe do marxismo e da revolução proletária como o de Franco na Espanha.

3. - O terror policial e as difamações de Estaline foram o aspecto político de uma luita de morte contra a revolução, liderada por toda a burocracia. Nós não podemos, então, esperar o restabelecimento da verdade mais que polo aniquilamento desta burocracia pola classe trabalhadora que foi reduzida à escravidão. Eu nada espero do partido russo nem dos seus imitadores fundamentalmente anticomunistas; qualquer desestalinização não vem a ser mais que uma ilusão, se não se estende ao poder polo proletariado e a dissolução das instituições policiais, políticas, militares e econômicas, bases da contrarrevolução que criou o capitalismo de Estado estalinista.

Receba, Senhor Diretor, as minhas saudações

Paris, 9 novembro, 1961.
Natalia Sedova Trotski

Compartilhe este texto:
Início da página
 
Visite o MIA no Facebook
 

logotipo
Inclusão 08/02/2014