Em Torno dos Problemas do Leninismo

J. V. Stálin


III - O Problema da Revolução "Permanente"


No folheto Sobre os Fundamentos do Leninismo, considera-se a ''teoria da revolução permanente" como uma "teoria" que subestima o papel dos camponeses. Eis o que está nesse folheto:

"A luta de Lenine contra os partidários da revolução "permanente" não girava em torno do problema da continuidade da revolução, pois o próprio Lenine sustentava o ponto de vista da revolução ininterrupta, mas em torno do fato de que aqueles partidários menosprezavam o papel dos camponeses, que formam a reserva mais importante do proletariado".

Até estes últimos tempos, gozava de aceitação geral esta caracterização dos "permanentistas" russos. Embora seja certa, entretanto, de modo geral, não pode essa caracterização ser considerada como completa. A discussão de 1924, de um lado, e o estudo minucioso das obras de Lenine, de outro, demonstraram que o erro dos "permanentistas" russos não consistia apenas em menosprezar o papel dos camponeses, mas também em subestimar a força e a capacidade do proletariado para arrastar atrás de si os camponeses, ou, seja, na falta de confiança na idéia da hegemonia do proletariado.

Por isso, em meu folheto "A Revolução de Outubro e a tática dos comunistas russos" (dezembro de 1924), ampliei esta caracterização e substitui-a por outra mais completa. Eis o que diz esse folheto a respeito dos "permanentistas".

"Até agora, costumava-se assinalar somente uma face da teoria da "revolução permanente": a falta de confiança nas possibilidades revolucionárias do movimento camponês. Agora, para se fazer justiça, deve-se completar essa face com a outra: a falta de confiança nas forças e na capacidade do proletariado da Rússia".

Isto não significa, naturalmente, que o leninismo tenha estado ou seja contrário à idéia da revolução permanente, sem aspas, como foi proclamada por Marx, na década dos 40 do século passado. Lenine, ao contrário, foi o único marxista que soube compreender e desenvolver de modo acertado a idéia da revolução permanente. A diferença entre Lenine e os "permanentistas", nesta questão, consiste em que os "permanentistas" falseavam a idéia da revolução permanente de Marx, convertendo-a em sabedoria inerte, livresca, enquanto que Lenine a tomou em sua forma pura e a converteu num dos fundamentos de sua teoria da revolução. Convém recordar que a idéia da transformação da revolução democrático-burguesa em socialista, que Lenine já esboçara em 1905, é uma das formas por que aparece a teoria marxista da revolução permanente. Eis o que Lenine escrevia, já em 1905, sobre esse assunto:

"Da revolução democrática começaremos a passar, imediatamente, e de acordo com a medida de nossas forças, das forças do proletariado consciente e organizado para a revolução socialista. Nós somos partidários da revolução ininterrupta. (sublinhado por Stálin) Não haveremos de parar na metade do caminho...

"Sem cair no aventureirismo, sem trair nossa consciência científica sem pretender a popularidade barata, podemos afirmar, e de fato afirmamos uma coisa somente: ajudaremos, com todas as nossas forças, a todos os camponeses, a fazer a revolução democrática, para que, a nós, o partido do proletariado, seja mais fácil passarmos, o mais depressa possível, a enfrentar a tarefa nova e superior — a revolução socialista" (Lenine, t. VIII, págs. 186-187, A Atitude da Social-Democracia Frente ao Movimento Camponês).

Eis o que escreve Lenine, a propósito desse assunto, 16 anos mais tarde, depois da conquista do poder pelo proletariado:

"Os Kautsky, os Hilferding, os Martov, os Chemov, os Hillquit, os Longuet, os MacDonald, os Turati, e os demais heróis do marxismo da "Internacional II e meia" não souberam compreender... a correlação entre a revolução democrático-burguesa e a revolução socialista proletária. A primeira transforma-se na segunda. (sublinhado por Stálin) A segunda resolve, no seu desenvolvimento, os problemas da primeira. A segunda consolida a obra da primeira. A luta, somente a luta, determina até que ponto a segunda consegue superar a primeira". (Lenine, t. XXVII, pág. 28, Em Comemoração ao IV Aniversário da Revolução de Outubro).

Chamo especialmente a atenção para a primeira citação extraída do artigo de Lenine, "A Atitude da Social Democracia Frente ao Movimento Camponês", publicado em 1.° de setembro de 1905. Lembro isso para conhecimento dos que continuam afirmando Lenine não ter concebido a idéia da transformação da revolução democrático-burguesa em revolução socialista, a idéia da revolução permanente, a não ser depois de começada a guerra imperialista, aproximadamente no ano de 1916. Esta citação não deixa lugar a duvidas a respeito do equivoco profundo em que incorre essa gente.

Compartilhe este texto:
Início da página
 
Visite o MIA no Facebook
 

Inclusão 21/01/2012