Notícias de São Petersburgo

Friedrich Engels

25 de Maio de 1844


Escrito: nos idos de maio de 1844;

Primeira Edição: The Northern Star, nº 341, de 25 de maio de 1844, com a nota editorial “Do nosso correspondente”;
Fonte: Marx-Engels Collected Works, volume 3, p. 524.
Tradução: Rafael Duarte Oliveira Venancio, dezembro de 2008.
HTML: Fernando A. S. Araújo, dezembro 2008.
Direitos de Reprodução: A cópia ou distribuição deste documento é livre e indefinidamente garantida nos termos da GNU Free Documentation License.


Mudanças ministeriais consideráveis ocorreram em São Petersburgo. O Ministro das Finanças, Sr. Cancrin, caiu em desgraça, o mesmo ocorrendo com o Ministro da Polícia, o bem conhecido Conde Benkendorff. Nicholas está, evidentemente, lutando para manter um sistema que está rapidamente se destruindo. O sentimento anti-russo na Alemanha e nos outros Estados continentais está crescendo, mesmo com todos os esforços do exército literário pago por Nicholas. A situação financeira do Governo é muito difícil; a pompa da corte, o inumerável exército de policiais e espiões, as despesas de diplomatas, de espiões, de repórteres, das intrigas secretas, do suborno por toda a Europa, o Exército e a Marinha, das guerras sem fim contra os circassianos(1), consumiram toda a renda dos impostos e empréstimos. A política comercial restritiva do Sr. Cancrin impossibilitou o comércio exterior em algumas partes do Império e falhou em estabelecer um sistema nacional de indústrias. Entre a nobreza, três partidos distintos estão sendo traçados: a corte, a nobreza velha e os oficiais do Exército. Eles estão, constantemente, fazendo intrigas contra os demais e seu alvo é nada mais do que o domínio inclusive sobre a pessoa do Imperador, quem, como todos os déspotas, nada mais é do que uma ferramenta de seus favoritos.

Compartilhe este texto:
Início da página
 
Visite o MIA no Facebook
 

Notas:

(1) Nota 229 do volume 3 do MECW: A referência é acerca das guerras desencadeadas pelo Governo czarista contra os povos do Cáucaso do Norte (adigueses, chechênios, avares, lezguianos, etc.) que lutavam por sua independência. Na década de 1820, a luta por liberdade desses povos contra os colonizadores czaristas e o domínio arbitário dos lordes feudais locais foi liderado por Shamil, que foi proclamado Imã do Daguestão em 1834. O movimento atingiu o seu pico na década de 1840 e foi suprimido em 1859. (retornar ao texto)

Inclusão 07/01/2009
Última alteração 16/09/2011