Declaração Pública aos Editores da Imprensa Inglesa

Karl Marx, Friedrich Engels, Ferdinand Freiligath e Wilhelm Wolff

30 de Outubro de 1852


Escrito: 28 de outubro de 1852;
Primeira Edição: Publicado simultaneamente nos jornais The People’s Paper, The Spectator, The Examiner, The Morning Advertiser e The Leader, todos de 30 de outubro de 1852;
Fonte: Marx-Engels Collected Works, volume 11, p.378.
Tradução: Rafael Duarte Oliveira Venancio, dezembro de 2008.
HTML: Fernando A. S. Araújo, dezembro 2008.
Direitos de Reprodução: A cópia ou distribuição deste documento é livre e indefinidamente garantida nos termos da GNU Free Documentation License.


Senhor,

Os abaixo-assinados chamam sua atenção para a atitude da imprensa prussiana, incluindo até os jornais mais reacionários tal como o Neue Preussische Zeitung, durante o julgamento corrente dos Comunistas em Colônia e para a honrosa discrição que eles mantiveram em um momento onde quase um terço das testemunhas foram escutadas, onde nenhum dos documentos produzidos foi verificado e nenhuma palavra foi pronunciada pela Defesa. Enquanto esses jornais, nas piores condições, representam os prisioneiros de Colônia e os abaixo-assinados, seus amigos de Londres, em concordância com a acusação pública, os descrevem como “perigosos conspiradores que foram, sozinhos, responsáveis por toda história européia dos últimos quatro anos e por todas perturbações revolucionárias em 1848 e em 1849” – há dois jornais em Londres, The Times e The Daily News, que não hesitaram em representar os prisioneiros de Colônia e os abaixo-assinados como uma “gangue de fortes mendigos”, farsantes etc.. Os abaixo-assinados dirigem ao público inglês as mesmas demandas que os defensores dos acusados dirigiram ao público na Alemanha: suspender o julgamento deles e esperar pelo fim do julgamento penal. Haverá o surgimento de novas informações e o Governo prussiano deve procurar os meios de maquinar acerca dos truques policiais, dos perjúrios, das falsificações de documentos, das falsificações de datas, dos roubos, dentre outros, em número sem precedentes nos arquivos da Justiça Política da Prússia. Quando essa revelação for feita no curso dos procedimentos atuais, a opinião pública na Inglaterra saberá como qualificar os escribas anônimos do The Times e do Daily News, que se tornaram os advogados e porta-vozes dos mais infames e subalternos espiões governamentais.

Cordiais saudações,
F. Engels
F. Freiligrath
K. Marx
W. Wolff
Londres, 28 de outubro

Compartilhe este texto:
Início da página
 
Visite o MIA no Facebook
 

Inclusão 24/12/2008
Última alteração 16/09/2011