Do Discurso Sobre a Questão Militar Pronunciado no VIII Congresso do PC (b) de Toda a Rússia[N72]

J. V. Stálin

21 de Março de 1919


Primeira Edição: no volume: J. Stálin, "Sobre a Oposição". "Artigos e Discursos, 1921-1927", Moscou-Leningrado, 1928.
Fonte: J.V. Stálin – Obras – 4º vol., Editorial Vitória, 1954 – traduzida da edição italiana da Obras Completas de Stálin publicada pela Edizioni Rinascita, Roma, 1949.
Tradução: Editorial Vitória
Transcrição: Partido Comunista Revolucionário
HTML:
Fernando A. S. Araújo, setembro 2006.
Direitos de Reprodução: A cópia ou distribuição deste documento é livre e indefinidamente garantida nos termos da GNU Free Documentation License.

capa

Todas as questões que foram aqui abordadas reduzem-se a uma só: deve ou não deve haver na Rússia um exército regular com uma rígida disciplina?

Há seis meses, após a ruína do velho exército tzarista, tínhamos um novo, um exército de voluntários, mal organizado, com um comando coletivo, um exército que nem sempre obedecia às ordens. Era o período em que se delineava a ofensiva da Entente. O exército era sobretudo, senão exclusivamente, composto de operários. Em conseqüência da falta de disciplina nesse exército de voluntários, em conseqüência do fato de que as ordens nem sempre eram executadas, em conseqüência da desorganização no comando do exército, sofremos derrotas, cedemos Kazan ao adversário, enquanto do sul Krasnov avançava com êxito. . . Os fatos mostram que um exército de voluntários não corresponde ao objetivo, que não saberemos defender nossa República se não constituirmos um outro exército, um exército regular, que tenha vivo o espírito de disciplina, com uma seção política bem organizada, um exército que saiba e possa à primeira ordem pôr-se imediatamente de pé e marchar contra o inimigo.

Devo dizer que os elementos não operários, que constituem a maior parte do nosso exército, os camponeses, não combaterão voluntariamente pelo socialismo. Muitos fatos o provam. Uma série de motins na retaguarda e nas frentes, uma série de violências na frente, mostram que os elementos não proletários, que constituem a maior parte do nosso exército, não querem bater-se voluntariamente pelo comunismo. Daí nossa tarefa de reeducar esses elementos no espírito de uma férrea disciplina; de conduzi-los atrás do proletariado não só na retaguarda, mas também nas frentes; de obrigá-los a combater pela nossa causa comum, a causa socialista; e, no curso da guerra, de levar a termo a construção de um verdadeiro exército regular, o único capaz de defender o país.

Assim se apresenta a questão.

. . . Ou criaremos um verdadeiro exército regular operário e camponês com uma rígida disciplina, e defenderemos a República, ou então não o faremos, e nesse caso a nossa causa estará perdida.

. . . O projeto apresentado por Smirnov é inaceitável, porque não faz outra coisa senão minar a disciplina no exército e exclui a possibilidade de criar um exército regular.

Compartilhe este texto:
Início da página
 
Visite o MIA no Facebook
 

Notas de fim de tomo:

[N72] VIII Congresso do P.C.(b) da Rússia realizou-se em Moscou de 18 a 23 de março de 1919. Da ordem do dia do Congresso constavam os seguintes pontos: 1.°) — informe do C.C; 2.°) — programa do P.C.(b) da Rússia; 3.°) — a Internacional Comunista; 4.°) — a situação militar e a política militar; 5.°) — o trabalho no campo; 6.°) — questões organizativas; 7.°) — eleição do Comitê Central.
O informe do C.C. e os informes sobre o programa do Partido, e sobre o trabalho no campo foram apresentados por Lênin. A questão militar foi discutida em sessões plenárias e no seio da comissão militar. Na discussão interveio a chamada "oposição militar" que reunia os ex-"comunistas de esquerda" e militantes que não faziam parte de nenhuma oposição, mas estavam descontentes com a direção militar de Trotski. Embora lutando contra a deformação de Trotski da política militar do Partido e contra a ação levada a efeito por ele em prejuízo do Partido, a "oposição militar" defendia os restos de mentalidade guerrilheira no exército o outras idéias errôneas sobre numerosas questões referentes à estrutura do Exército. Contra a "oposição militar" intervieram Lênin e Stálin, e o Congresso rejeitou uma série de propostas por ela formuladas (projeto Smirnov), condenando ao mesmo tempo a posição deletéria de Trotski. A comissão militar nomeada pelo Congresso e composta dos camaradas Stálin, Iaroslavski e outros, elaborou uma resolução sobre a questão militar que foi aprovada por unanimidade. (Vide também História do P.C. (b) da URSS, Edições Horizonte, Rio, 1947, 2ª edição, págs. 93 a 95). (retornar ao texto)

pcr
Inclusão 07/03/2008
Última alteração 15/12/2010