Como São Acolhidas as Tropas Vermelhas

J. V. Stálin

15 de Julho de 1920


Primeira Edição: "Krasnoarmiéietz" ("O Soldado Vermelho") n° 337, 15 de julho de 1920.
Fonte: J.V. Stálin – Obras – 4º vol., Editorial Vitória, 1954 – traduzida da edição italiana da Obras Completas de Stálin publicada pela Edizioni Rinascita, Roma, 1949.
Tradução: Editorial Vitória
Transcrição: Partido Comunista Revolucionário
HTML:
Fernando A. S. Araújo, setembro 2006.
Direitos de Reprodução: A cópia ou distribuição deste documento é livre e indefinidamente garantida nos termos da GNU Free Documentation License.

capa

Noticia do jornal "Krasnoarmiéietz"[N106]

O camarada Stálin, membro do Conselho Militar Revolucionário da República, comunica que não pode deixar de frisar a atitude absolutamente excepcional da população local para com o Exército Vermelho na frente polonesa.

— Não me foi dado observar semelhante atitude nem no leste, nem no sul — diz o camarada Stálin.

Apesar da pobreza das massas camponesas do oeste em confronto com as da região do Volga e do sul, os camponeses repartiram tudo que possuíam com os soldados do Exército Vermelho.

O serviço particularmente pesado do abastecimento de água foi executado de bom grado.

O soldado vermelho teve apoio e ajuda de toda a espécie, e a população contristou-se muito quando em fins de maio fomos obrigados a iniciar a retirada.

A população da zona da frente havia suportado todo o peso da ocupação polonesa e por isso conhecia muito bem que espécie de ameaça constituiria para ela a irrupção dos senhores poloneses.

Em nossa frente encontra-se um grupo inteiro de combatentes, aos quais é dada assistência sanitária pelos camponeses e camponesas, que dispensaram o máximo cuidado e atenção aos nossos soldados vermelhos feridos.

Quanto ao estado de ânimo dos camponeses bielorrussos que se encontram além da zona da frente, segundo as nossas informações, naqueles lugares as insurreições sucedem-se, operam destacamentos de guerrilheiros que lançam a confusão na retaguarda inimiga, queimando os depósitos e exterminando os latifundiários.

Pode-se dizer simplesmente que está se repetindo o que aconteceu na Sibéria com Koltchak.

Por toda a parte, quando nossas unidades se aproximam, a retaguarda do inimigo começa a desmoronar-se internamente.

Assistimos atualmente a uma verdadeira revolução camponesa contra os latifundiários poloneses na Bielorrússia.


Notas de fim de tomo:

[N106] Krasnoarméietz (O Soldado Vermelho), diário publicado aos cuidados da seção política do Conselho Militar Revolucionário do XVI exército da frente ocidental. Saiu de 20 de março de 1919 a 15 de maio de 1921. (retornar ao texto)

 

pcr