Discurso no Comício de Pesar pelo Falecimento do Camarada Stálin

L. Béria

9 de Março 1953


foto

Primeira Edição: ....
Fonte: Problemas - Revista Mensal de Cultura Política nº 45 - Março-Abril de 1953.
Transcrição e HTML: Fernando A. S. Araújo, Março 2009.
Direitos de Reprodução: A cópia ou distribuição deste documento é livre e indefinidamente garantida nos termos da GNU Free Documentation License.


Queridos camaradas e amigos:

É difícil exprimir com palavras a enorme dor que sentem, nestes dias, nosso Partido e os povos de nosso país, bem como toda a humanidade progressista.

Deixou de existir o camarada Stálin, o grande companheiro de lutas e grande continuador da causa de Lênin. Deixou-nos o homem mais amado por todos os cidadãos soviéticos e por milhões de trabalhadores do mundo inteiro.

Toda a vida e toda a atividade do grande Stálin são exemplos edificantes de fidelidade ao leninismo, modelo de abnegação ao serviço da classe operária, de todo o povo trabalhador e à causa da libertação dos trabalhadores da opressão e da exploração.

O grande Lênin fundou nosso Partido e chegou à vitória da revolução proletária. Junto com o grande Lênin, Stálin, seu genial companheiro de lutas, fortaleceu o Partido Bolchevique e criou o primeiro Estado socialista do mundo.

Depois da morte de Lênin, Stálin dirigiu, durante trinta anos, o nosso Partido e nosso país pelo caminho leninista. Stálin salvaguardou o leninismo contra seus múltiplos inimigos e desenvolveu a doutrina de Lênin nas novas condições históricas. A sábia direção do grande Stálin assegurou ao nosso povo a construção do socialismo na URSS e a vitória de importância histórico-mundial da União Soviética na Grande Guerra Patriótica.

O grande arquiteto do comunismo, guia genial, nosso amado Stálin, armou nosso Partido e o povo com o grandioso programa da edificação do comunismo.

Camaradas!

Nossos corações estão cheios de tristeza infinita. A perda que sofremos é cruel, mas este pesado fardo não dobrará a vontade de aço do Partido Comunista, não abalará sua unidade nem sua firme resolução na luta pelo comunismo. Nosso Partido, armado com a teoria revolucionária de Marx, Engels, Lênin e Stálin, enriquecido com a experiência de meio século de lutas pelos interesses da classe operária e de todos os trabalhadores, saberá como levar avante a causa da construção da sociedade comunista.

O Comitê Central do nosso Partido e o Governo Soviético passaram pela grande escola de Lênin e Stálin, no terreno da direção do país. No fogo da guerra civil e da intervenção, nos difíceis anos da luta contra a ruína e a fome, na luta pela industrialização do país e pela coletivização da agricultura, nos duros anos da Grande Guerra Patriótica, quando se decidiam os destinos de nossa Pátria e os de toda a humanidade, o Comitê Central do Partido e o Governo Soviético, dirigindo e orientando a luta heróica do povo soviético, adquiriram uma imensa experiência de direção do Partido e do país.

Por isso, os povos da União Soviética podem continuar confiantes no Partido, no seu Comitê Central e no Governo Soviético. Os inimigos do Estado Soviético esperam que a dolorosa perda que sofremos levará o desentendimento e a confusão às nossas fileiras. Mas, seus cálculos são falsos. Aguarda-os uma cruel decepção.

Quem não é cego vê que o nosso Partido cerra mais estreitamente as suas fileiras, nesses dias difíceis, que está unido e é inabalável.

Quem não é cego vê que, nesses dias de tristeza, os povos soviéticos, fraternalmente unidos com o grande povo russo, se agrupam ainda mais em torno do Governo Soviético e do Comitê Central do Partido Comunista.

O povo soviético apóia, unanimemente, tanto a política externa como a política interna do Estado Soviético.

A nossa política interna baseia-se na aliança inquebrantável da classe operária e do campesinato kolkhoziano, na fraternal amizade de todos os povos de nosso país, na sólida unidade de todas as repúblicas nacionais soviéticas num grande Estado multinacional unido — a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas. Nossa política visa fortalecer a potência econômica e militar de nosso Estado, desenvolver a nossa economia nacional e satisfazer ao máximo as crescentes necessidades materiais e culturais de toda a sociedade soviética.

Os operários, kolkhozianos e intelectuais de nosso país podem trabalhar tranqüilos e seguros, sabendo que o Governo Soviético velará com solicitude e incansavelmente por seus direitos inscritos na Constituição Stalinista.

Nossa política externa é clara e compreensível. Desde os primeiros dias do poder soviético, Lênin definiu a política externa do Estado Soviético como uma política de paz.

O grande continuador da obra de Lênin, nosso sábio guia Stálin realizou, sem desfalecimento, essa política de paz.

Também no futuro, a política externa do Governo Soviético será a política leninista-stalinista de manutenção e consolidação da paz, de luta contra os preparativos e desencadeamento de uma nova guerra, uma política de colaboração internacional, de fomento de relações comerciais com todos os países, sobre uma base de reciprocidade.

O Governo Soviético robustecerá ainda mais a fraternal aliança, amizade e colaboração na luta comum pela causa da paz no mundo inteiro. O Governo Soviético fomentará o intercâmbio material e cultural com a grande República Popular da China, com as Democracias Populares e com a República Democrática Alemã.

Nossos irmãos e amigos do estrangeiro podem estar seguros de que o Partido Comunista e os povos da União Soviética, fiéis à bandeira do internacionalismo proletário, à bandeira de Lênin e Stálin, continuarão fortalecendo e desenvolvendo as relações de amizade com os trabalhadores dos países capitalistas e coloniais que lutam pela paz, pela democracia e pelo socialismo.

Profundos sentimentos de amizade unem nosso povo ao heróico povo coreano que luta por sua independência.

Nossos grandes guias, Lênin e Stálin, ensinavam a elevar e a aguçar, incansavelmente a vigilância do Partido e do povo contra as maquinações e intrigas dos inimigos do Estado Soviético.

Agora, devemos reforçar ainda mais a nossa vigilância.

Que ninguém creia que os inimigos do Estado Soviético poderão surpreender-nos desprevenidos. Para defender a pátria soviética, as nossas heróicas forças armadas estão dotadas de armas modernas de todos os tipos. Nossos soldados e marinheiros, nossos oficiais e generais, enriquecidos e temperados com as experiências da Grande Guerra Patriótica, saberão fazer frente a qualquer agressor que ouse atacar o nosso país.

A força e a invencibilidade de nosso Estado não decorrem apenas de termos um exército temperado nos combates e aureolado de glória.

O poderio do Estado Soviético reside na unidade do povo soviético, em sua confiança no Partido Comunista, força dirigente da sociedade soviética, na confiança do povo no seu Governo Soviético. O Partido Comunista e o Governo Soviético têm na mais alta consideração essa confiança do povo.

O povo soviético acolheu, com unânime aprovação, a disposição do Comitê Central, do Conselho de Ministros e do Presidium do Soviet Supremo da URSS, adotando decisões de extraordinária importância, tendentes a assegurar a direção ininterrupta e justa de toda a vida do país.

Uma destas importantes decisões foi a nomeação do talentoso discípulo de Lênin, fiel companheiro de lutas de Stálin, Gueorgui Maximilianovitch Malênkov, para o cargo de Presidente do Conselho de Ministros da URSS.

As decisões tomadas pelos órgãos máximos de nosso Partido, de nosso Estado, foram uma prova clara da completa unidade e coesão na direção do Partido e do Estado. Essa unidade e coesão na direção do país são a garantia de uma boa aplicação da política externa e interna elaborada durante longos anos pelo nosso Partido e nosso Governo, sob a direção de Lênin e Stálin.

Stálin, da mesma forma que Lênin, deixou ao nosso Partido uma grande herança, de que devemos cuidar como a menina de nossos olhos e que devemos enriquecer incessantemente.

O grande Stálin educou e reuniu em torno de si uma plêiade de dirigentes provados nos combates, possuidores da maestria leninista-stalinista de direção, e aos quais cabe a histórica responsabilidade de conduzir à vitória final a grande obra iniciada por Lênin e continuada com êxito por Stálin.

Os povos de nosso país podem estar certos de que o Partido Comunista e o Governo da União Soviética não pouparão forcas nem a própria vida para conservar a unidade de aço das fileiras do Partido e de sua direção, para fortalecer a amizade indestrutível dos povos da União Soviética, fortalecer o poderio do Estado Soviético, guardar inabalável lealdade às idéias do marxismo-leninismo e, cumprindo o legado de Lênin e Stálin, levar o país do socialismo para o comunismo.

Glória eterna ao nosso querido guia e educador, o Grande Stálin!

Compartilhe este texto:
Início da página
 
Visite o MIA no Facebook
 

logomarca problemas
Inclusão 09/03/2009