A Dialética do Abstrato e do Concreto em O Capital de Karl Marx

Evald Vasilievich Ilienkov


Prefácio do Autor para a Edição Alemã


Este livro foi escrito quase vinte anos atrás e publicado na Rússia em 1960. A experiência tem mostrado, entretanto, que o interesse pelas ideias expostas nele ainda está vivo. O livro foi traduzido e continua a ser traduzido em línguas estrangeiras. Ele foi publicado integralmente na Itália (Feltrinelli Publishers, 1961), Japão (1969), Iugoslávia (1975), e parte na França (1962) e México (1966). Em 1973, foram feitas preparações para sua publicação no Chile, que depois foi cancelada por razões bem conhecidas. Na Alemanha, existe uma tradução de um pequeno excerto dele (uma versão resumida do Capítulo 3) feita a partir do francês e publicada por Alfred Schmidt na coleção Contribuições para a Teoria Marxista do Conhecimento (Beiträge zur marxistischen Erkenntnistheeorie), Suhrkamp, 1969.

Este fato, assim como referências constantes ao livro, me permitiu ter esperanças de que sua publicação possa provar ser útil para o leitor interessado nos problemas da dialética e epistemologia. Lamentavelmente eu fui incapaz de adicionar a ele análises da literatura sobre o assunto cobrindo os anos recentes, porque levar adiante esta tarefa requereria, de fato, um estudo independente. Essa omissão pode ser justificada pelo fato de que as proposições teóricas principais do livro não se tornaram obsoletas e não necessitam de uma correção para as conquistas básicas do pensamento Marxistas dos últimos anos. Sobre as críticas neste livro, são dirigidas, sobretudo, a uma tendência amplamente difundida (neopositivismo, existencialismo, neohegelianismo e suas variedades) cujos dogmas conceituais não têm sofrido mudanças significativas nos anos recentes, enquanto a visão marxista do problema não tem, obviamente, sido apresentada para o oeste de forma suficiente.

Levando isso em conta, eu considero possível me restringir a pequenas correções do velho texto e interpolações de materiais de um artigo na coleção Formas do Pensamento (Moscou, 1961), que complementam a parte histórico-filosófica do livro e acrescenta ao escopo de tratamento do problema.

Evald V. Ilienkov
Moscou, 1979

Compartilhe este texto:
Início da página
 
Visite o MIA no Facebook
 

Inclusão 13/02/2014