Carta a Wilhelm Blos
(em Hamburgo)

Karl Marx

10 de Novembro de 1877

Link Avante

Primeira Edição: Publicado pela primeira vez na revista Der wahre Jacob, n.° 565, de 17 de Março de 1908. Publicado segundo o texto do manuscrito Traduzido do alemão.
Fonte: Obras Escolhidas em três tomos, Editorial "Avante!" - Edição dirigida por um colectivo composto por: José BARATA-MOURA, Eduardo CHITAS, Francisco MELO e Álvaro PINA, tomo III, pág: 538-539.
Tradução: José BARATA-MOURA.
Transcrição e HTML: Fernando A. S. Araújo.
Direitos de Reprodução: © Direitos de tradução em língua portuguesa reservados por Editorial "Avante!" - Edições Progresso Lisboa - Moscovo, 1982.


10 de Nov[embro] de 1877
41, Maitland Park Road, Londres, N.W.

capa

... «Não guardo ressentimento» [Ich «grolle nieht»] (como Heine diz(1*) e Engels tão-pouco[N294] . Nós os dois não damos um tostão furado pela popularidade. Prova [disso é], por exemplo, que, por aversão contra todo o culto da pessoa [Personenkultus], durante o tempo da Internacional, nunca deixei que passassem para o domínio da publicidade as numerosas manobras de reconhecimento [Anerkennungsmanöver] com que de diversos países fui molestado e também nunca lhes respondi, a não ser aqui e além com admoestações. A primeira entrada de Engels e minha para a sociedade secreta dos comunistas [die geheime Kommunistengesellschaft](2*) aconteceu apenas na condição de que seria afastado dos estatutos tudo o que aproveitasse à superstição da autoridade[N295]. (Mais tarde, Lassalle actuou, precisamente, na direcção oposta)...

Compartilhe este texto:
Início da página
 
Visite o MIA no Facebook
 

Notas de rodapé:

(1*) Cf. Heinrich Heine, Lyrisches Intermezzo [Intermezzo Lírico], 18 (Nota da edição portuguesa.) (retornar ao texto)

(2*) Trata-se da Liga dos Comunistas. Ver "Para a História da Liga dos Comunistas" (Nota de edição portuguesa) (retornar ao texto)

Notas de fim de tomo:

[N294] Na sua carta a Marx de 30 de Outubro-6 de Novembro de 1877, Blos, referindo-se à intervenção dos partidários de Dühring no Congresso de Gotha de 1877, perguntava se efectivamente Marx e Engels estavam aborrecidos com os camaradas de partido da Alemanha. Constatando que os operários alemães liam com mais atenção que nunca as intervenções de Marx e Engels na imprensa, Blos escrevia que, graças à actividade de propaganda dos sociais-democratas, Marx e Engels se tinham tornado personalidades mais populares do que eles próprios podiam imaginar. (retornar ao texto)

[N295] Trata-se dos Estatutos da Liga dos Justos. Marx e Engels participaram activamente na elaboração dos Estatutos da Liga em Junho de 1847 no primeiro Congresso da Liga. Depois de analisados pelas comunas da Liga foram de novo apreciados pelo segundo Congresso e definitivamente aprovados a 8 de Dezembro de 1847. (retornar ao texto)

Inclusão 20/09/2011