Arquivo Marxista na Internet Vá para a página inicial
   
26/Mai Manfred: A Transição para o Feudalismo no Médio Oriente e na Ásia Central, Capítulo IV da Segunda Parte do livro História do Mundo Volume I - O Mundo Antigo - A Idade Média. "Esta Pequena História do Mundo tenta reconstituir o longo e complexo caminho seguido pela raça humana desde a era da sociedade primitiva até aos nossos dias.". Colaboração João Filipe Freitas e Fernando Araújo
24/Mai Gorender: O Conceito de Modo de Produção e a Pesquisa Histórica. "O estudo dos modos de produção impõe o esclarecimento do próprio conceito de modo de produção. Isto porque, a partir da escola althusseriana, se difundiu um conceito de modo de produção que, a meu ver, representa inadmissível retrocesso do materialismo histórico em direção a uma forma especial de ecletismo.". Fontte: Marxismo 21. Colaboração Fernando Araújo
23/Mai Bogdánov: A Época do Capitalismo Financeiro, capítulo V da Segunda Parte - Sociedade Mercantil, do livro Economia Política (Curso Popular). "Na época da engrenagem capitalista, o crédito, que antes desempenhava somente um papel secundário na circulação do dinheiro, se transforma em um vastíssimo sistema complexo e simétrico, que serve de potente força motriz para o desenvolvimento econômico.". Colaboração Fernando Araújo
21/Mai José Saramago: A Palavra ao Nobel da Palavra - Discurso ao receber o Prêmio Nobel; Crime (Financeiro) Contra a Humanidade e Não à Guerra [Uma Ofensa à Razão].
Ludo Martens: Sobre Alguns Aspectos da Luta Contra o Revisionismo Pela unidade dos comunistas, pela defesa do internacionalismo proletário. "A derrocada completa do sistema socialista na União Soviética, minado e pervertido desde há décadas, e o triunfo da contra-revolução burguesa neste país obrigam os comunistas a fazer um balanço do caminho percorrido pelo movimento comunista internacional durante o meio século passado." Fonte: Para a História do Socialismo. Colaboração: Fernando Araújo.
20/Mai Manfred: Kiev Rus. As Antigas Tribos Eslavas do Oriente, Capítulo III da Segunda Parte do livro História do Mundo Volume I - O Mundo Antigo - A Idade Média. "Esta Pequena História do Mundo tenta reconstituir o longo e complexo caminho seguido pela raça humana desde a era da sociedade primitiva até aos nossos dias.". Colaboração João Filipe Freitas e Fernando Araújo
19/Mai Mao Tsé-Tung: Interpelação ao Kuomintang. Editorial redigido pelo camarada Mao Tsetung para o Quiefanjepao, de Ien-an. Colaboração: Fernando Araujo.
Mao Tsé-Tung: Comentário à XI Sessão Plenária do Comitê Executivo Central do Kuomintang e à II Sessão do III Conselho Político Nacional. Editorial redigido pelo camarada Mao Tsetung para o Quiefanjepao, de Ien-an. Colaboração: Fernando Araujo.
18/Mai Krupskaia: Fragmento do Discurso pronunciado no VI Congresso das Juventudes Comunistas da Rússia. Colaboração: Alexandre Linares e Fernando Araujo.
17/Mai Bogdánov: O Capitalismo Industrial, capítulo IV da Segunda Parte - Sociedade Mercantil, do livro Economia Política (Curso Popular). "O capitalismo industrial é a organização da produção em grande escala, baseada no trabalho assalariado. Por conseguinte, para que exista o capitalismo industrial precisam-se duas condições prévias: capitais suficientes e operários livres de toda dependência pessoal, quer dizer, que possam vender seu trabalho e que, ao mesmo tempo, se vejam obrigados a fazê-lo.". Colaboração Fernando Araújo
16/Mai José Saramago: Sobre a Guerra, a Paz e a Cultura e Autobiografia. "Revolução cultural é uma expressão fatigada, consumida de contradições, perdida em projectos que a desnaturam, desgastada em aventuras cuja indiscutível generosidade veio a servir interesses que radicalmente lhe eram contrários. Sem dúvida não foram vãs essas agitações, abriram-se espaços, alargaram-se entendimentos. Mas é tempo de reconhecer e proclamar que a única revolução cultural realmente merecedora de tal nome será a revolução da paz, aquela que transformará o homem treinado para a guerra em homem educado para a paz e a quem a paz educou.". Fonte: Fundação José Saramago. Colaboração Fernando Araújo
15/Mai Manfred: O Aparecimento de Relações Feudais no Sudoeste, no Oriente e no Sul da Ásia, Capítulo II da Segunda Parte do livro História do Mundo Volume I - O Mundo Antigo - A Idade Média. "Esta Pequena História do Mundo tenta reconstituir o longo e complexo caminho seguido pela raça humana desde a era da sociedade primitiva até aos nossos dias.". Colaboração João Filipe Freitas e Fernando Araújo
14/Mai Stálin: Uma Vez Mais Sobre o Problema Nacional - A propósito de um artigo de Sémich. "Uma coisa são as “ações revolucionárias” para reformar a velha ordem de coisas, conservando o Poder nas mãos da classe dominante. Esse é o caminho constitucional. Outra coisa são as “ações revolucionárias” para romper a velha ordem de coisas, para derrotar a classe dominante. Esse é o caminho revolucionário, o caminho da vitória total da revolução. A diferença é radical.". Colaboração Fernando Araújo
13/Mai Abriu o arquivo: Agostinho Neto, com o texto Angola tem uma Característica Cultural Própria, Resultante da sua História. "O chauvinismo cultural é tão prejudicial como o foi, logo a seguir à Revolução de Outubro, o conceito de cultura proletária que Lenine tanto combateu, insistindo na ideia de o país soviético ter forçosamente de fruir, e aproveitar-se para a elaboração de uma nova cultura socialista, voltada para as massas, do património cultural herdado, ou mais tarde, do conceito de realismo socialista.". Colaboração Fernando Araújo
Clovis Moura: Cem Anos de Abolição do Escravismo no Brasil. "Estamos assinalando o Centenário da Abolição da Escravidão no Brasil, fato que evidencia termos sido o último país do mundo em que esse tipo de trabalho foi substituído pela mão-de-obra livre. Essa mudança tardia, quando a própria escravidão moderna já era um anacronismo gritante e injustificável, marcou profundamente a estrutura da sociedade brasileira, deixando no seu corpo aderências e restos até hoje visíveis. Isto explica, por outro lado, a permanência da sua influência negativa (nos níveis econômico e ideológico) no comportamento de grandes camadas da sociedade brasileira, especialmente no seu aparelho de dominação política." Fonte: Fundação Maurício Grabois. Colaboração Fernando Araújo
12/Mai Bogdánov: O Capitalismo Mercantil, capítulo III da Segunda Parte - Sociedade Mercantil, do livro Economia Política (Curso Popular). "Vulgarmente costuma dizer-se que o capital é a riqueza que produz lucro; mas isto é absolutamente errôneo, porque nenhuma riqueza pode, por si só, originar lucro.". Colaboração Fernando Araújo
10/Mai Cannon: Sobre o Pablismo. "A direção é o problema por resolver da classe trabalhadora de todo o mundo. O único obstáculo entre a classe trabalhadora do mundo e o socialismo é o problema não resolvido da direção." Colaboração Alexandre Linares e Fernando Araújo
08/Mai Manfred: A Transição para o Feudalismo e o Aparecimento dos Primeiros Estados Feudais na Europa, Capítulo I da Segunda Parte do livro História do Mundo Volume I - O Mundo Antigo - A Idade Média. "Esta Pequena História do Mundo tenta reconstituir o longo e complexo caminho seguido pela raça humana desde a era da sociedade primitiva até aos nossos dias.". Colaboração João Filipe Freitas e Fernando Araújo
07/Mai Hoxha: Somente sob a Liderança de um Partido Marxista-Leninista Genuíno é que os Objetivos Podem ser Atingidos. "A nossa luta é severa e complicada. É uma luta política, ideológica e económica e, em certas condições, até mesmo uma luta armada. Nesta ocasião, gostaria de salientar que para nós, Marxistas-Leninistas, a revolução já começou, é um processo em desenvolvimento, e portanto devemos levá-lo até ao fim. A questão fundamental desta revolução é a tomada do poder do Estado pelo proletariado pela força, pela violência, porque a burguesia capitalista que detém o poder do Estado não o abandona voluntariamente ou através de reformas.". Colaboração: Thales Franco e Fernando Araujo.
05/Mai Marx: O segredo da acumulação original. Seção 1 do 24º capítulo "A chamada acumulação original" de O Capital. "Viu-se como o dinheiro é transformado em capital, como por meio do capital se faz mais-valia e da mais-valia se faz mais capital. Entretanto a acumulação do capital pressupõe a mais-valia, a mais-valia a produção capitalista, mas esta a existência de massas maiores de capital e força de trabalho nas mãos de produtores de mercadorias.". Colaboração de Edições Avante! e Fernando Araújo.
Gorender: Uma Vida de Teoria e Práxis. "O processo de conquista do socialismo também será um processo de lutas. Não será um processo de expansão gradual da democracia. Existe uma idéia corrente em certos setores da esquerda de que aperfeiçoando a democracia, expandindo e criando organizações de base democrática, politizando a população, e por um processo contínuo, sem interrupções, chegaremos ao socialismo. Não acredito nisso. Pela importância que o Brasil possui, não acredito que os Estados Unidos assistam passivamente a um processo socialista entre nós. Precisamos aproveitar todas as oportunidades que a democracia burguesa nos oferece hoje e mais algumas que pudermos conquistar. Mas, para chegarmos ao socialismo, deverá ocorrer uma ruptura da democracia burguesa, ou, antes, ela se transformará de novo numa ditadura discricionária de tipo militar — o que podemos vir a enfrentar mais uma vez.". Colaboração Fernando Araújo
04/Mai Mao Tsé-Tung: Conversa do Presidente Mao Tsé-Tung com um Grupo de Delegados na Conferência de Paz. A seguinte conversa ocorreu em 22 de agosto de 1964, entre o Presidente Mao Tsé-Tung e um grupo de delegados que se alojaram em Pequim após participar da X Conferência Mundial da Paz no Japão. Nessa conferência teve lugar uma luta contra a linha revisionista soviética sobre a paz mundial, que consistia na repressão às lutas de libertação nacional e no conluio com o imperialismo norte-americano. Colaboração: Eduardo Vasco e Fernando Araujo.
03/Mai Lênin: A Situação e as Tarefas da Internacional Socialista. "A defesa da colaboração das classes, a renúncia à ideia da revolução socialista e aos métodos revolucionários de luta, a adaptação ao nacionalismo burguês, o esquecimento do carácter historicamente transitório das fronteiras da nacionalidade ou da pátria, a transformação da legalidade burguesa num fetiche, a recusa do ponto de vista de classe e da luta de classe com o receio de afastar as «amplas massas da população» (leia-se: a pequena burguesia) — tais são indubitavelmente as bases ideológicas do oportunismo." Colaboração Partido Comunista Português - Organização Regional de Lisboa e Manuel Gouveia.
30/Abr Bogdánov: O Sistema do Artesanato Urbano, capítulo II da Segunda Parte - Sociedade Mercantil, do livro Economia Política (Curso Popular). "O desenvolvimento da troca foi uma das principais causas que produziram a decadência do sistema autônomo da sociedade feudal e a aparição de novas relações entre os servos da aldeia. A amplitude da troca foi aumentando cada vez mais à medida que as cidades medievais se foram destacando do resto do mundo feudal, dando origem a novas condições econômicas.". Colaboração Fernando Araújo
29/Abr Silvio Rodríguez: A Alma, uma Arma. "...nós, que queremos criar, nos vemos obrigados – além de reproduzir o folclore para que não se esqueça – a fazer uma canção que, surgindo das tradições, concorra e supere as imposições de quem tem no momento o poder de difusão mundial capitalista; uma canção com o máximo de qualidade e profundidade, com todos os recursos técnicos que sejamos capazes de adquirir: uma canção cheia não apenas de histórias e denúncias, mas também dos sons deste tempo." Colaboração: Joana Salém Vasconcelos e Fernando Araujo.
28/Abr Temática: Marxismo e a Arte. Mais uma seção temática reunindo textos sobre a arte em geral. Colaboração Fernando Araújo
27/Abr Manfred: A Idade Média, Segunda Parte do livro História do Mundo Volume I - O Mundo Antigo - A Idade Média. "Esta Pequena História do Mundo tenta reconstituir o longo e complexo caminho seguido pela raça humana desde a era da sociedade primitiva até aos nossos dias.". Colaboração João Filipe Freitas e Fernando Araújo
26/Abr Krupskaia: Carta a Gorki (Fragmentos). Colaboração: Alexandre Linares e Fernando Araujo.
25/Abr Bogdánov: O Desenvolvimento da Troca, capítulo I da Segunda Parte - Sociedade Mercantil, do livro Economia Política (Curso Popular). "O fato é que a sociedade baseada na troca se distingue da sociedade natural pela enorme divisão social do trabalho.". Colaboração Fernando Araújo
17/Abr Mao Tsetung: A Propósito do Discurso de Tchiang Kai-chek na Festa do Duplo Dez. "Um dos traços marcantes do discurso proferido por Tchiang Kai-chek, na Festa do Duplo Dez(4), foi a ausência de qualquer conteúdo e a não resposta a qualquer das questões que preocupam o povo.". Colaboração Fernando Araújo
16/Abr Astrojildo Pereira: A Imprensa Operária no Brasil. "um excelente esboço para compreensão da história da imprensa operária brasileira ". Fonte: Revista Novos Rumos; Fundação Dinarco Reis. Colaboração Fernando Araújo
15/Abr Manfred: A Roma Imperial, capítulo VIII do livro História do Mundo Volume I - O Mundo Antigo - A Idade Média. "Esta Pequena História do Mundo tenta reconstituir o longo e complexo caminho seguido pela raça humana desde a era da sociedade primitiva até aos nossos dias.". Colaboração João Filipe Freitas e Fernando Araújo
14/Abr Lênin: Partido Ilegal e Trabalho Legal. "A questão do partido ilegal e do trabalho legal dos sociais-democratas da Rússia é uma das questões mais importantes que se colocam ao partido; ela tem ocupado o POSDR durante toda a época posterior à revolução e suscitou a mais dura luta interna nas suas fileiras. Foi principalmente em torno desta questão que decorreu a luta dos liquidacionistas contra os antiliquidacionistas, e a dureza desta luta explica-se inteiramente pelo facto de que ela se reduzia à questão de saber se o nosso velho partido ilegal deveria ou não existir." Colaboração Partido Comunista Português - Organização Regional de Lisboa e Manuel Gouveia.
13/Abr Clóvis Moura: Apresentação do texto "A Constituinte" de Graciliano Ramos. "No ano de 1945 o povo estava nas ruas exigindo a redemocratização do Brasil. O nazifascismo fora derrotado na segunda guerra mundial e abriam-se perspectivas em escala planetária para o avanço da democracia." Fonte: Fundação Maurício Grabois. Colaboração Fernando Araújo
Graciliano Ramos: A Constituinte. "E jornalistas que aplaudiram as injustiças mais terríveis, as violências mais ferozes, também se distanciaram do amo, cospem no prato, arranjam um bode expiatório. Desses grupos, mais ou menos avariados, surgem cavaleiros andantes, Quixotes resolvidos a pôr as coisas nos eixos e desfazer agravos. É intuitivo que não acreditamos neles. Impossível responsabilizarmos um homem só pelas misérias que choveram sobre nós. Há muitos autores delas — e os piores são os que hoje simulam essa pureza tardia e querem democratizar o País de cima para baixo. É o que sempre fizeram. Na democracia deles o povo não entra. Fugimos dessa mistificação." Fonte: Fundação Maurício Grabois. Colaboração Fernando Araújo
12/Abr Bogdánov: Sociedade Feudal, capítulo III do livro Economia Política (Curso Popular). "A sociedade tribal patriarcal se formou como consequência da aparição de novos métodos de produção, que asseguravam ao homem os meios de vida. A sociedade feudal teve sua origem no desenvolvimento ulterior de ditos meios de produção. As condições técnicas do período feudal são: o predomínio da agricultura na produção; o papel subalterno da pecuária e a vida sedentária numa área limitada de terreno.". Colaboração Fernando Araújo
11/Abr Trotsky: Sobre Milícias de Trabalhadores. "A milícia dos trabalhadores é a mais forte arma na luta de classes. A luta de classes alcança sua mais consciente expressão no partido. O papel do partido, assim como o papel da milícia dos trabalhadores, aumenta na proporção do aprofundamento da luta de classes." Fonte: Blog Espaço Marxista. Colaboração: Joycemar Tejo e Fernando Araujo.
10/Abr Krupskaia: Carta aos Operários e Operárias da Fábrica “As Três Montanhas”. Colaboração: Alexandre Linares e Fernando Araujo.
09/Abr Manfred: A República Romana, capítulo VII do livro História do Mundo Volume I - O Mundo Antigo - A Idade Média. "Esta Pequena História do Mundo tenta reconstituir o longo e complexo caminho seguido pela raça humana desde a era da sociedade primitiva até aos nossos dias.". Colaboração João Filipe Freitas e Fernando Araújo
08/Abr Lênin: A Correspondência entre Marx e Engels. "A edição há muito prometida da correspondência dos célebres fundadores do socialismo científico foi finalmente publicada. Engels legou a Bebel e a Bernstein a edição, e Bebel conseguiu pouco antes de morrer terminar a sua parte do trabalho de redacção. A correspondência entre Marx e Engels, publicada há algumas semanas em Estugarda por Dietz, constitui quatro grandes volumes. Neles estão contidas um total de 1386 cartas de Marx e Engels no enorme período que vai de 1844 a 1883." Colaboração Partido Comunista Português - Organização Regional de Lisboa e Manuel Gouveia.
07/Abr Bogdánov: Comunidade Tribal Autoritária, capítulo II do livro Economia Política (Curso Popular). "É evidente que o trabalho organizado constitui historicamente a forma mais primitiva do trabalho complexo. No grupo comunista primitivo, em que cada um podia fazer o mesmo que qualquer outro, o trabalho era de caráter simples. Isso se dava na maioria dos grupos tribo-patriarcais. A função do organizador era a única que não podia ser desempenhada indistintamente por qualquer membro do grupo. Esta função exigia uma experiência especial e, quiçá, mais capacidade que a vulgar. Este trabalho era já um trabalho complexo ou qualificado, e requeria um maior gasto de energia equivalente ao trabalho simples multiplicado". Colaboração Fernando Araújo
05/Abr Manfred: A Ascenção da Macedónia e o Império de Alexandre, capítulo VI do livro História do Mundo Volume I - O Mundo Antigo - A Idade Média. "Esta Pequena História do Mundo tenta reconstituir o longo e complexo caminho seguido pela raça humana desde a era da sociedade primitiva até aos nossos dias.". Colaboração João Filipe Freitas e Fernando Araújo
04/Abr Lênin: Um Passo em Frente, Dois Passos Atrás - Resposta de N. Lénine a Rosa Luxemburg. "...para a social-democracia as eleições não são uma operação política particular, uma caça aos mandatos ao preço de quaisquer promessas ou declarações, mas apenas um pretexto particular de agitação pelas reivindicações fundamentais e pelos fundamentos da filosofia política do proletariado consciente." Colaboração Partido Comunista Português - Organização Regional de Lisboa e Manuel Gouveia.
03/Abr Imprensa Proletária: jornal Tribuna Popular. "O diário Tribuna Popular foi fundado no Rio de Janeiro em 1945 por intelectuais e militantes ligados ao Partido Comunista do Brasil (PCB), tendo circulado de 22 de maio de 1945 a 28 de dezembro de 1947". Fonte: Hemeroteca Digital Brasileira. Colaboração Fernando Araújo
02/Abr Bogdánov: Comunismo Tribal Primitivo, capítulo I do livro Economia Política (Curso Popular). "O primeiro fenômeno ideológico foi a linguagem falada, que começou a desenvolver-se no remoto período da vida humana em que o homem começou a abandonar o estado zoológico. A origem da linguagem falada conserva uma estreita ligação com o processo produtivo, posto que surgiu das chamadas exclamações de trabalho. ". Colaboração Fernando Araújo
01/Abr Lênin: A Plataforma dos Reformistas e a Plataforma dos Sociais-Democratas Revolucionários. "...para a social-democracia as eleições não são uma operação política particular, uma caça aos mandatos ao preço de quaisquer promessas ou declarações, mas apenas um pretexto particular de agitação pelas reivindicações fundamentais e pelos fundamentos da filosofia política do proletariado consciente." Colaboração Partido Comunista Português - Organização Regional de Lisboa e Manuel Gouveia.
22/Mar Abriu o arquivo: Aleksandr Bogdánov, com a Introdução do livro Economia Política (Curso Popular). "A tarefa fundamental da ciência econômica, ou economia política, é estudar as relações sociais de trabalho que existem entre os homens; mas, não obstante, não pode deixar de abordar outros aspectos do processo de produção. Forçosamente tem de considerar também os aspectos técnicos e ideológicos de dito processo, à medida em que o desenvolvimento deste depende daqueles.". Colaboração Fernando Araújo
21/Mar Marighella: Balada à Descritiva. Poema. Colaboração Diego Grossi e Fernando Araújo.
19/Mar Manfred: A Grécia nos Séculos V e IV A.C., capítulo V do livro História do Mundo Volume I - O Mundo Antigo - A Idade Média. "Esta Pequena História do Mundo tenta reconstituir o longo e complexo caminho seguido pela raça humana desde a era da sociedade primitiva até aos nossos dias.". Colaboração João Filipe Freitas e Fernando Araújo
18/Mar Hamilton Almeida Filho: A Sangue Quente - A Morte do Jornalista Vladimir Herzog. "...um relato forte e profundo dos fatos que conduziram e se seguiram à morte do jornalista Vlado Herzog nas dependências do DOI-CODI de São Paulo, é uma contribuição para a memória do nosso tempo. Trata-se, a meu ver, do melhor trabalho jornalístico de 1975 e mais ainda, muito mais, isto é, um dos trabalhos mais dignos da história do jornalismo brasileiro.". Fonte: DHnet. Colaboração Fernando Araújo
17/Mar Mao Tsetung: Organizemo-nos!. "Organizar a força das massas constitui uma política. Mas será que existe a política contrária? Sim. É a política a que falta o ponto de vista de massas, que não se apoia nas massas ou não as organiza, e que, sem dispensar qualquer atenção à organização das grandes massas do campo, forças armadas, organismos, escolas e fábricas, se preocupa exclusivamente com a organização do pequeno número de indivíduos pertencentes aos serviços encarregados das finanças, aprovisionamento e comércio; essa política não considera o trabalho econômico como um vasto movimento ou uma grande frente de combate, vê-o apenas como expediente para suprir a insuficiência de recursos financeiros. Tal é a outra política, a falsa política. ". Colaboração Fernando Araújo
16/Mar Amílcar Cabral: Saudação no Seminário de Quadros. "Os colonialistas portugueses sabem muito bem o que se passa, não são burros, podem ser teimosos mas não são burros. Eles sabem que os combatentes e as armas, de facto, podem ganhar uma guerra, mas não ganham a libertação de um povo. Na verdade, o progresso de um povo e mesmo o uso das armas para ganhar a guerra, são possíveis porque o homem é que vale para isso. O que vale é a cabeça do homem e os colonialistas portugueses sabem que quanto mais forte fôr a nossa cabeça, quanto maior fôr a nossa consciência, quanto mais claramente cada um de nós souber o que é que nós queremos, de onde vimos e para onde vamos, mais difícil para eles é continuar a dominar o nosso povo.". Fonte: Fundação Mário Soares. Colaboração Fernando Araújo
15/Mar L. Segal: O Capitalismo, capítulo V da obra O Desenvolvimento Econômico da Sociedade extraída do livro Introdução ao Estudo do Marxismo. "O capitalismo desenvolveu-se economicamente, ao surgir a produção mercantil, em substituição à economia natural do sistema feudal. Sob os regimes da escravidão e do feudalismo, de fato, existiu a troca de produtos, o dinheiro e o comércio, em geral. Mas a maior parte dos produtos não era destinada ao mercado. Sob o capitalismo é que a produção mercantil se converteu num modo de produção generalizado e dominante." Colaboração: Fernando Araújo.
14/Mar Lênin: As Divergências no Movimento Operário Europeu "As principais divergências no movimento operário contemporâneo da Europa e da América reduzem-se à luta contra as duas grandes tendências que se desviam do marxismo, que se tornou de facto a teoria dominante nesse movimento. Essas duas tendências são o revisionismo (oportunismo, reformismo) e o anarquismo (anarco-sindicalismo, anarco-socialismo). Ambos esses desvios da teoria marxista e da táctica marxista, dominantes no movimento operário, se observam sob diferentes formas e com diferentes matizes em todos os países civilizados, ao longo de história de mais de meio século do movimento operário de massas.". Colaboração Partido Comunista Português - Organização Regional de Lisboa e Manuel Gouveia.
13/Mar Marighella: Liberdade. Poema. Colaboração Diego Grossi e Fernando Araújo.
Lênin: O Socialismo e a Religião. Substituída a versão existente pela tradução das Edições Avante!. Colaboração Partido Comunista Português - Organização Regional de Lisboa e Manuel Gouveia.
12/Mar Amílcar Cabral: Passamos a ser Arrastados pela História dos Países da Europa. "Nós estamos a servir a humanidade, camaradas, estamos a servir o nosso povo, a nossa terra, a África, a humanidade. Esta é a nossa responsabilidade ao dar tiros, fazendo guerra na nossa terra, para libertarmos o nosso povo. Por isso mesmo, temos que orientar a nossa luta armada, da melhor maneira possível, de acordo com a realidade da nossa terra de acordo também com a experiência de outros povos, desde que essa experiência seja válida para nós. Por isso mesmo temos que evitar e evitamos na nossa luta, tudo quanto possa diminuir a dignidade do ser humano.". Fonte: LavraPalavra. Colaboração Gabriel Landi Fazzio e Fernando Araújo
11/Mar Gorender: Hegemonia Burguesa - Reforçada pela Prova Eleitoral de 94. "A prática política das classes dominantes brasileiras tem a peculiaridade da liquidação das organizações partidárias logo depois das viradas mais incisivas. Após a tomada do poder por Getúlio Vargas em 1930, desapareceram os partidos republicanos da República Velha. Em 1965, Castello Branco — primeiro a exercer a ditadura militar — dissolveu o PSD, a UDN e todos os demais partidos surgidos no período que vai da democratização de 1945 ao golpe de 1964." Fonte: Revista Crítica Marxista. Colaboração: Fernando Araújo.
10/Mar L. Segal: O Feudalismo, capítulo IV da obra O Desenvolvimento Econômico da Sociedade extraída do livro Introdução ao Estudo do Marxismo. "A base econômica do modo de produção feudal era a de uma reduzida produção dos camponeses e dos pequenos artesãos livres. A produção, em conjunto, tinha um caráter essencialmente natural, pois os objetos produzidos não se destinavam à troca." Colaboração: Fernando Araújo.
08/Mar Temática: Resolução Sobre Certas Questões na História de Nosso Partido Desde a Fundação da República Popular da China. "O Partido Comunista da China percorreu sessenta anos de gloriosa luta desde sua fundação em 1921. A fim de resumir sua experiência nos trinta e dois anos desde a fundação da República Popular, temos que rever brevemente os vinte e oito anos anteriores, em que o Partido dirigia o povo na luta revolucionária pela Nova Democracia." Colaboração Alberto Steffen Neto e Fernando Araújo
07/Mar Marighella: A Prestes (No dia do seu aniversário). Poema. Colaboração Diego Grossi e Fernando Araújo.
06/Mar Lênin: A Guerra Europeia e o Socialismo Internacional. "O mais penoso para um socialista não são os horrores da guerra — nós somos sempre pela «santa guerra di tutti gli opressi per la conquista delle loro patrie!» — mas os horrores da traição dos chefes do socialismo actual, os horrores da falência da actual Internacional". Colaboração Partido Comunista Português - Organização Regional de Lisboa e Manuel Gouveia.
05/Mar Mao Tsetung: Sobre o Governo de Coalizão. "O povo só alcançará a vitória máxima graças a prolongados esforços, e apenas quando as forças que restarem do fascismo, as forças antidemocráticas e todas as forças imperialistas tiverem sido batidas. Está claro que esse momento não há de chegar dentro em breve, nem muito facilmente, mas há de seguramente chegar.". Colaboração Fernando Araújo
04/Mar Stálin: Revolução em Outubro - em 2 versões: traduzida da primeira edição na Pravda e a segunda versão nas Obras Completas em Russo. Temos, ainda, no sítio a tradução feita pela Editorial Vitória. Colaboração Erick Fishuk e Fernando Araújo
L. Segal: A Escravidão, capítulo III da obra O Desenvolvimento Econômico da Sociedade extraída do livro Introdução ao Estudo do Marxismo. "A grande produção não era possível sem a utilização, em grande escala, do trabalho dos escravos. A escravidão tornou possível maior divisão do trabalho entre a oficina e o campo, permitiu a construção dos grandes palácios da antiguidade, a realização de grandes feitos de navegação e o desenvolvimento da indústria de extração. Sem a etapa da escravidão, não alcançariam as ciências e as artes (a matemática, a mecânica, a astronomia, a geografia e as belas artes) o nível relativamente elevado que tiveram no mundo antigo. O desenvolvimento das forças produtivas no entanto, beneficiava somente a um pequeno grupo de exploradores. Para a massa de escravos significava sofrimentos e, privações incríveis. Mas, em geral, essa é a lei do desenvolvimento das forças produtivas nas sociedades divididas em classes." Colaboração: Fernando Araújo.
03/Mar Abriu o arquivo: Chen Yun, com o texto Problemas a Respeito do Planejamento e do Mercado. "Em O Capital o autor traz à luz o fato de que a produção capitalista é anárquica e que as forças produtivas crescentes estão sujeitas ao conflito irreconciliável com as relações de produção. Portanto, o capitalismo necessariamente perecerá.". Fonte: Teoria China. Colaboração Alberto Steffen Neto e Fernando Araújo
02/Mar Lênin: Material Inflamável na Política Mundial. "O movimento revolucionário internacional do proletariado não avança e não pode avançar uniformemente e em formas idênticas nos diversos países. Uma utilização completa e em todos os aspectos de todas as possibilidades em todos os terrenos de actividade só se consegue em resultado da luta de classe dos operários dos diferentes países.". Colaboração Partido Comunista Português - Organização Regional de Lisboa e Manuel Gouveia.
23/Fev Abriu o arquivo: Graciliano Ramos, com o texto O Partido Comunista. "Isso que José Lins deseja fundar, sem indicar os meios, já existe, segundo ele próprio declara: "Só o Partido Comunista foi um órgão inteiriço em todo o território nacional." Diabo! Não é suficiente? Ou será que não somos amigos do povo, não possuímos ideias generosas nem dignidade humana?". Fonte: Fundação Maurício Grabois. Colaboração Fernando Araújo
Clóvis Moura: Apresentação do texto "O Partido Comunista" de Graciliano Ramos. "Graciliano aproveita-se de um momento de reflexão de José Lins do Rego, para, através dessa tomada de consciência crítica, reanalisar o papel e a função de um partido revolucionário, estabelecendo as diferenças fundamentais e, ao mesmo tempo, estruturando uma posição política revolucionária para a intelectualidade." Fonte: Fundação Maurício Grabois. Colaboração Fernando Araújo
22/Fev Lênin: Greve Económica e Greve Política. "Numa greve política, a classe operária actua como classe de vanguarda de todo o povo. [...] Por outro lado, sem reivindicações económicas, sem a melhoria directa e imediata da sua situação, a massa dos trabalhadores nunca concordará em conceber um «progresso» geral do país. A massa entra no movimento, participa energicamente nele, dá-lhe grande valor e desenvolve o heroísmo, a abnegação, a perseverança e a entrega a uma grande causa apenas se a situação económica do trabalhador melhora. Não pode ser de outro modo, pois as condições de vida dos operários em tempo «normal» são incrivelmente duras.". Colaboração Partido Comunista Português - Organização Regional de Lisboa e Manuel Gouveia.
21/Fev L. Segal: O Comunismo Primitivo, capítulo II da obra O Desenvolvimento Econômico da Sociedade extraída do livro Introdução ao Estudo do Marxismo. "Essa forma social de produção existiu, durante muitos milênios, na vida de todos os povos, sendo a mais primitiva etapa de evolução da sociedade. Foi nesse período mesmo — de comunismo primitivo — que começou o desenvolvimento da sociedade." Colaboração: Fernando Araújo.
20/Fev Manfred: A Grécia Pré-Clássica, capítulo IV do livro História do Mundo Volume I - O Mundo Antigo - A Idade Média. "Esta Pequena História do Mundo tenta reconstituir o longo e complexo caminho seguido pela raça humana desde a era da sociedade primitiva até aos nossos dias.". Colaboração João Filipe Freitas e Fernando Araújo
19/Fev Lênin: Um Catedrático Liberal Fala de Igualdade. "a situação social dos catedráticos na sociedade burguesa é tal que só são admitidos nessas funções aqueles que vendem a ciência ao serviço dos interesses do capital, apenas aqueles que concordam em dizer contra os socialistas as mais incríveis tolices, os mais desavergonhados absurdos e asneiras. A burguesia perdoa tudo isso aos catedráticos desde que eles se ocupem em «aniquilar» o socialismo.". Colaboração Partido Comunista Português - Organização Regional de Lisboa e Manuel Gouveia.
18/Fev Ludo Martens: De Stáline a Khruchov, capítulo X da obra: Um Outro Olhar Sobre Stáline. "Em 9 de Fevereiro de 1946, Stáline apresentou aos eleitores um balanço da guerra antifascista. A guerra, afirmou, foi «uma grande escola de teste e verificação de todas as forças do povo.»(1) Stáline questionou indirectamente as concepções militaristas segundo as quais o Exército Vermelho teria sido o principal artesão da vitória." Fonte: Para a História do Socialismo. Colaboração: Fernando Araújo.
17/Fev Zhou Enlai: Eliminar Resolutamente do Partido toda Ideologia não Proletária. "Camaradas, é certo que muitas das ideias incorretas a respeito da linha política do Partido são reflexo das circunstâncias objetivas, mas não é menos que uma das causas mais importantes de sua existência consiste em que as organizações do Partido não se bolchevizaram ainda, e que são notadas no Partido numerosas manifestações da ideologia não proletária.". Colaboração Igor N. Dias e Fernando Araújo
16/Fev Abriu o arquivo: Clóvis Moura, com o texto Lima Barreto e a Militância Literária. "Lima Barreto é um escritor que foi colocado na penumbra deliberadamente pelos setores dominantes e privilegiados da indústria literária no Brasil. Era pobre, negro, anarquista e, por decorrência de tudo isto, antimilitarista.". Fonte: Fundação Maurício Grabois. Colaboração Fernando Araújo
15/Fev Lênin: Acerca das Formas do Movimento Operário (O «lock-out» e a táctica marxista). "Os lock-outs, isto é, os despedimentos em massa de operários pelos empresários em conivência, são um fenómeno tão necessário e inevitável na sociedade capitalista como as greves dos operários. O capital, que descarrega todo o seu peso sobre os pequenos produtores arruinados e sobre o proletariado, ameaça constantemente reduzir as condições de vida dos operários à fome aberta e à morte pela fome.". Colaboração Partido Comunista Português - Organização Regional de Lisboa e Manuel Gouveia.
14/Fev L. Segal: O Desenvolvimento Econômico da Sociedade, capítulo I da obra O Desenvolvimento Econômico da Sociedade extraída do livro Introdução ao Estudo do Marxismo. "Para conduzir os povos, a sua vanguarda, e a classe operária, para a vitória, é necessário conhecer as leis que regem o desenvolvimento e a decadência do capitalismo e saber quais são as condições precisas para essa vitória. Da mesma forma que não é possível dominar as forças da natureza sem tê-las estudado e sem conhecer as leis da própria natureza, o partido revolucionário do Proletariado não poderá elaborar nem aplicar uma boa estratégia, uma boa tática e uma política justa para a derrocada do capitalismo e a edificação da sociedade socialista, se ignorar as leis que regem o desenvolvimento da sociedade em geral e do capitalismo em particular." Colaboração: Fernando Araújo.
13/Fev Marighella: Muralha. Poema. Colaboração Diego Grossi e Fernando Araújo.
12/Fev Manfred: As Antigas Civilizações da Índia e China, capítulo III do livro História do Mundo Volume I - O Mundo Antigo - A Idade Média. "Esta Pequena História do Mundo tenta reconstituir o longo e complexo caminho seguido pela raça humana desde a era da sociedade primitiva até aos nossos dias.". Colaboração João Filipe Freitas e Fernando Araújo
11/Fev Ludo Martens: Stáline e a guerra antifascista, capítulo IX da obra: Um Outro Olhar Sobre Stáline. "Com o desmoronamento económico de 1929, toda a ordem capitalista mundial foi abalada. A atmosfera está prenhe de uma nova guerra mundial que em breve eclodirá. Mas onde? Com que extensão? Todas estas perguntas permaneceram muito tempo sem resposta. Mesmo após a deflagração «oficial» desta catástrofe, em 1940, ainda não estavam definitivamente esclarecidas. Estas perguntas sem resposta permitem compreender melhor a política externa de Stáline durante os anos 30." Fonte: Para a História do Socialismo. Colaboração: Fernando Araújo.
10/Fev Ho Chi Minh: Carta ao Partido Comunista da Indochina. "No passado, segundo minha opinião e de um bom número de camaradas, o trotskismo aparece para nós como uma questão de luta entre as tendências no seio do Partido Comunista da China. Por isso quase não lhe prestamos atenção. Mas, pouco antes do estalar da guerra, mais exatamente desde o fim do ano de 1936, e sobre tudo durante a guerra, a propaganda criminosa dos trotskistas fez com que nós abríssemos os olhos." Colaboração: Igor N. Dias e Fernando Araújo.
09/Fev Lênin: A Classe Operária e a Questão Nacional. "A questão nacional exige uma formulação e resolução claras por todos os operários conscientes. Quando a burguesia lutava pela liberdade juntamente com o povo, juntamente com os trabalhadores, ela defendia a completa liberdade e a completa igualdade das nações. [...] Hoje a burguesia receia os operários, procura a aliança com os Purichkévitch, com a reacção, trai a democracia, defende a opressão ou a desigualdade das nações, procura corromper os operários com palavras de ordem nacionalistas.". Colaboração Partido Comunista Português - Organização Regional de Lisboa, Manuel Gouveia e Fernando Araújo.
08/Fev Mao Tsetung: Telegrama ao Camarada William Z. Foster. "Toda a linha revisionista-capitulacionista de Browder (inteiramente revelada no seu livro Teerão) reflete, em essência, a influência dos grupos reacionários capitalistas dos Estados Unidos no seio do movimento operário norte-americano.". Colaboração Fernando Araújo
07/Fev Bakunin: Carta aos Redatores do Boletim da Federação do Jura. "A espada de Democles, com a qual nos ameaçaram por tanto tempo, acaba, enfim, de cair sobre nossas cabeças. Não é exatamente uma espada, mas a arma habitual do Sr. Marx, um monte de imundícies.". Fonte: Coletivo de Estudos Anarquistas Domingos Passos. Colaboração: Fernando Araújo.
05/Fev Ludo Martens: O papel de Trótski na Véspera da II Guerra Mundial, capítulo VIII da obra: Um Outro Olhar Sobre Stáline. "No decurso dos anos 30, Trótski tornou-se o maior perito mundial da luta anticomunista. Ainda hoje, os ideólogos da direita procuram nas obras de Trótski armas contra a União Soviética de Stáline. " Fonte: Para a História do Socialismo. Colaboração: Fernando Araújo.
26/Jan Lênin: A Burguesia e a Paz. "O poder está nas mãos dos bancos, dos cartéis e do grande capital em geral. A única garantia da paz é o movimento organizado e consciente da classe operária". Colaboração Partido Comunista Português - Organização Regional de Lisboa, Manuel Gouveia e Fernando Araújo.
25/Jan Manfred: O Médio Oriente, capítulo II do livro História do Mundo Volume I - O Mundo Antigo - A Idade Média. "Esta Pequena História do Mundo tenta reconstituir o longo e complexo caminho seguido pela raça humana desde a era da sociedade primitiva até aos nossos dias.". Colaboração João Filipe Freitas e Fernando Araújo
24/Jan Lênin: Os Armamentos e o Capitalismo. "A chuva de ouro cai directamente nos bolsos dos políticos burgueses, que constituem um reduzido bando internacional que instiga os povos à competição no domínio dos armamentos e que tosquia esses povos confiantes, idiotas, obtusos e submissos como quem tosquia carneiros!". Colaboração Partido Comunista Português - Organização Regional de Lisboa, Manuel Gouveia e Fernando Araújo.
23/Jan Ludo Martens: A grande depuração, capítulo VII da obra: Um Outro Olhar Sobre Stáline. "Nenhum outro episódio da história soviética desperta tanto ódio do velho mundo quanto a depuração de 1937-38. A denúncia sem matizes da depuração pode ser lida em termos idênticos tanto num folheto neonazi como numa obra de Zbigniew Brzezinski com pretensões académicas, num panfleto trotskista como num escrito sob a pena do ideólogo principal do exército belga." Fonte: Para a História do Socialismo. Colaboração: Fernando Araújo.
22/Jan Jorge Amado: A Classe era Pão e Luz. "Durante certo tempo ela foi impressa na Bahia. A maior parte de seus números saiu de pequenas e escondidas oficinas no Rio de Janeiro. Houve números paulistas. No fundo do terror ela sobrevivia, marcava o caminho, indicava os rumos certos, criticava, discutia, educava. Esse pequeno jornal operário, tenaz e combativo, foi, durante algum tempo, o único livre da censura dos Dips, livre do suborno, suas palavras verdadeiras, sua ideologia proletária dizendo do futuro, iluminando perspectivas. ". Colaboração: Fernando Araújo.
21/Jan Abriu o arquivo: Albert Zakharovich Manfred, com o Prefácio e o Capítulo I - A Sociedade Primitiva do livro História do Mundo Volume I - O Mundo Antigo - A Idade Média. "Esta Pequena História do Mundo tenta reconstituir o longo e complexo caminho seguido pela raça humana desde a era da sociedade primitiva até aos nossos dias.". Colaboração João Filipe Freitas e Fernando Araújo
20/Jan Lênin: Duas Utopias. "A utopia em política é uma espécie de aspiração que não é possível concretizar, nem no presente nem no futuro, uma aspiração que não assenta nas forças sociais e que não se apoia no crescimento, no desenvolvimento das forças políticas, das forças de classe. Quanto menos liberdade há num país, quanto mais exígua é a manifestação da luta aberta das classes, quanto mais baixo é o nível de instrução das massas, com tanto mais facilidade surgem normalmente as utopias políticas e mais tempo se mantêm.". Colaboração Partido Comunista Português - Organização Regional de Lisboa, Manuel Gouveia e Fernando Araújo.
19/Jan Ludo Martens: A luta contra o burocratismo, capítulo VI da obra: Um Outro Olhar Sobre Stáline. "Foi Trótski quem inventou a expressão infamante de «burocracia stalinista». No final de 1923, ainda em vida de Lénine, já estava envolvido em manobras para tomar o poder no Partido afirmando que «o burocratismo (...) ameaça provocar uma degenerescência mais ou menos oportunista da velha guarda.»" Fonte: Para a História do Socialismo. Colaboração: Fernando Araújo.
18/Jan Marighella: A Alegria do Povo. Poema. Colaboração Diego Grossi e Fernando Araújo.
17/Jan Bukharin: Conclusão, último capítulo do livro O Imperialismo e a Economia Mundial. "A evolução da história é feita de contradições. É por meio delas que se desenvolve a estrutura econômica da sociedade. Existência passageira e renovação perpétua das formas, dinâmica viva que cria continuamente novos modelos, tal é a lei imanente da realidade.". Colaboração Fernando Araújo
16/Jan Fúlvio Abramo: Entrevista à Teoria e Debate e Fúlvio Esclarece. Colaboração: Alexandre Linares e Fernando Araújo.
15/Jan Imprensa Proletária: Desenvolvimento da Filosofia do Marxismo por Lenine e Stalin, capítulo X do Compêndio de História da Filosofia do Instituto de Filosofia da Academia de Ciência da URSS. "Após a morte de Marx e de Engels, o capitalismo entrou na sua fase superior e última: o imperialismo. Durante as primeiras duas décadas que se seguiram à morte de Marx, aproximadamente até a revolução russa de 1905, o aprofundamento das contradições capitalistas não se tinha manifestado ainda com toda a clareza.". Colaboração Fernando Araújo.
10/Jan Mariátegui: O Homem e o Mito. "Todas as pesquisas da inteligência contemporânea sobre a crise mundial deságuam nesta unânime conclusão: a civilização burguesa sofre da ausência de um mito, de uma fé, de uma esperança. Ausência que é a expressão de sua falência material." Colaboração Alexandre Linares e Fernando Araújo.
09/Jan Bukharin: A Economia Mundial e o Socialismo Proletário, o capítulo XIII do livro O Imperialismo e a Economia Mundial. "Marx e Engels viam no Estado a organização da classe dominante, esmagando a ferro e fogo a classe oprimida e supunham que, na sociedade futura, não haveria mais classe. É certo que, para a época transitória da ditadura do proletariado, quando, momentaneamente este constitui a classe dominante, insistiam (com razão) sobre a necessidade de um aparelho estatal especial para liquidar as classes expulsas do poder.". Colaboração Fernando Araújo
08/Jan Dimitrov: Sobre os Quadros. "O problema de uma política justa de quadros é a questão mais atual para nossos partidos, para a Juventude Comunista e para todas as organizações de massas, para todo o movimento operário revolucionário." Fonte:Polo Comunista Luiz Carlos Prestes. Colaboração Fernando Araújo.
07/Jan Imprensa Proletária: História da Filosofia na Rússia, capítulo IX do Compêndio de História da Filosofia do Instituto de Filosofia da Academia de Ciência da URSS. "A história da filosofia russa e dos povos que formavam parte Rússia antes da revolução representa, como em todos os demais países do mundo, a história da luta entre o materialismo e o idealismo.". Colaboração Fernando Araújo.
06/Jan Amazonas: Teórico Marxista ou Diletante Liberal-Burguês? A propósito do livro de Nelson Levy "A Crise do Imperialismo e a Revolução". Fonte: Fundação Maurício Grabois. Colaboração: Diego Grossi e Fernando Araújo.
05/Jan Ludo Martens: A colectivização e o «holocausto ucraniano», capítulo V da obra: Um Outro Olhar Sobre Stáline. "A colectivização iniciada em 1929 foi um período extraordinário de lutas de classe, tão complexas quanto encarniçadas. Ela colocou a questão de saber quem seria a força dirigente no campo: a burguesia rural ou o proletariado. " Fonte: Para a História do Socialismo. Colaboração: Fernando Araújo.
04/Jan Mao Tsetung: O Nosso Estudo e a Situação Atual. "Para nos desembaraçarmos do vício de agir às cegas, tão generalizado no nosso Partido, devemos encorajar os camaradas a refletir, a dominar o método de análise e a cultivar o hábito de analisar.". Colaboração Fernando Araújo
03/Jan Bukharin: A Guerra e a Evolução Econômica, o capítulo XIII do livro O Imperialismo e a Economia Mundial. "A guerra, tornada inevitável pelo curso da evolução anterior, não poderia deixar de exercer formidável influência sobre a vida econômica mundial. Operando verdadeira revolução no interior de cada país e nas relações de força entre países, nas economias nacionais e na economia mundial; acarretando selvagem dilapidação das forças produtivas, a destruição dos meios materiais de produção e da mão de obra humana; sangrando a economia até a exaustão por despesas fenomenais, funestas do ponto de vista social — a guerra, como se fora uma gigantesca crise, acentuou, além disso, as tendências fundamentais do desenvolvimento capitalista, acelerando a um grau incrível o desenvolvimento dos elementos financeiros capitalistas e a centralização do capital em escala mundial.". Colaboração Fernando Araújo
02/Jan Marighella: O Urubu. Poema. Colaboração Diego Grossi e Fernando Araújo.
01/Jan Marx: Ilustração da lei geral da acumulação capitalista. Seção 5 do 23º capítulo de O Capital. "Se a classe operária permaneceu «pobre», só que «menos pobre» na proporção em que produziu um «inebriante aumento de riqueza e poder» para a classe da propriedade, ela relativamente permaneceu igualmente pobre. Se os extremos da pobreza não diminuíram, aumentaram, porque os extremos da riqueza [aumentaram].". Colaboração de Edições Avante! e Fernando Araújo.
Janeiro a Dezembro de 2015
Janeiro a Dezembro de 2014
Janeiro a Dezembro de 2013
Janeiro a Dezembro de 2012
Julho a Dezembro 2011 - (199 documentos)
Janeiro a Junho de 2011 - (230 documentos)
Janeiro a Dezembro de 2010 - (375 documentos)
Janeiro a Dezembro de 2009 - (862 documentos)
Janeiro a Dezembro de 2008 - (261 documentos)
Janeiro a Dezembro de 2007 - (190 documentos)
Janeiro a Dezembro de 2006 - (103 documentos)
Outubro de 1999 a Dezembro de 2005 - (137 documentos)
MIA Seção em Português