MIA - Secção em Português
Fidel Alejandro Castro Ruz
foto
1926-2016

 

Fidel Alejandro Castro Ruz nasceu a 13 de agosto de 1926 em Birán, antiga província cubana de Oriente. Seu pai, Ángel Castro Argiz, filho de camponeses pobres da Galiza, era latifundiário e colono canavieiro. Sua mãe, Lina Ruz González, procedia de uma família camponesa da província de Pinar del Río.

Aprendeu a ler e escrever na escola pública rural de Birán e continuou o ensino primário nos colégios católicos privados de La Salle e Dolores, na cidade de Santiago de Cuba. Começou os estudos de Bacharelato no próprio Colégio de Dolores e os concluiu no Colégio de Belém, da Companhia de Jesus, em Havana, onde se formou como Bacharel em Letras em junho de 1945.

Em setembro de 1945 matriculou nas carreiras de Direito e de Ciências Sociais e Direito Diplomático na Universidade de Havana. Lá se vinculou imediatamente às lutas políticas no seio dos estudantes universitários e ocupou diferentes responsabilidades na Federação Estudantil Universitária. Foi membro destacado de diferentes organizações estudantis progressistas e antiimperialistas tais como o Comitê Pro-Independência de Porto Rico, o Comitê 30 de Setembro  – do qual foi fundador – e o Comitê Pro-Democracia Dominicana, no qual ocupou a presidência.

Entre julho e setembro de 1947, quando estudava no terceiro ano da carreira, enrolou-se no contingente expedicionário organizado para lutar contra o regime do ditador dominicano Rafael Leónidas Trujillo. A expedição foi treinada em Cayo Confites. Foi ascendido a tenente, chefe de pelotão, e depois a chefe de uma companhia de batalhão. A expedição, que se deslocava de navio, foi interceptada por uma fragata da Marinha cubana. Fidel saltou para a água com sua arma para não se deixar capturar. Considerou uma vergonha que a expedição acabasse detida sem lutar.

Entrou em contato com as idéias marxistas quando já era estudante universitário.

Depois de sua participação na expedição contra Trujillo, viajou em 1948 para a Venezuela, o Panamá e a Colômbia como dirigente estudantil, com o objetivo de organizar um Congresso Latino-americano de Estudantes, que devia ser realizado nesse último país. Estava em Bogotá quando teve lugar a rebelião popular provocada pelo assassinato do líder colombiano Jorge Eliécer Gaitán, em abril desse ano. Incorpora-se resolutamente a essa luta. Sobreviveu por pura casualidade.

Fidel se formou como Doutor em Direito Civil e Licenciado em Direito Diplomático em 1950. Desde seu gabinete de advogado, dedicou-se fundamentalmente à defesa de pessoas e setores humildes.

Quando teve lugar o golpe de Estado de Fulgencio Batista, a 10 de março de 1952, foi dos primeiros em denunciar o caráter reacionário e ilegítimo do regime de fato e fazer um apelo para seu derrubamento.

Organizou e treinou um numeroso contingente de mais de mil jovens operários, empregados e estudantes, que procediam fundamentalmente das fileiras ortodoxas. Com 160 deles, a 26 de julho de 1953 comandou o assalto ao Quartel Moncada em Santiago de Cuba e ao quartel de Bayamo, em uma ação concebida como detonante da luta armada contra o regime de Batista.

Ao falhar o fator surpresa, não conseguiram alcançar o objetivo. Foi preso pelas forças de repressão da tirania poucos dias depois da derrota militar e foi mantido sem comunicação durante 76 dias. Foi submetido posteriormente a julgamento e condenado a 15 anos de prisão. Em um ambiente reservado e vigiado, assumiu sua autodefesa perante o tribunal que o julgou, e pronunciou o alegado conhecido como “A história me Absolverá”, no qual delineava o programa da futura Revolução em Cuba.

Como resultado de uma forte pressão e campanhas populares, foi liberado em maio de 1955. Nas semanas subseqüentes fez um trabalho intenso de agitação e denúncia, e fundou o Movimento 26 de Julho para continuar a luta revolucionária.

Em julho de 1955, demonstrada a impossibilidade de continuar a luta anti-batistiana por meios legais, Fidel partiu para o México para organizar desde o exílio a insurreição armada.

Com a consigna: “Em 1956 seremos livres ou seremos mártires”, Fidel, Raúl, Juan Manuel Márquez, Ernesto Che Guevara, Camilo Cienfuegos e outros destacados revolucionários estiveram treinando-se com longas caminhadas pelas ruas da cidade do México, subindo montanhas, exercitando defesa pessoal, tácticas de guerrilhas e práticas de tiro.

Compraram o iate Granma, no qual saíram para Cuba na madrugada de 25 de novembro de 1956, do Rio Tuxpan, com 82 combatentes a bordo, cuja idade média era de 27 anos.

Depois de sete dias de navegação, desembarcaram a 2 de dezembro em Las Coloradas, costa sul ocidental da antiga província de Oriente. As forças batistianas localizaram o desembarque e hostilizaram os expedicionários. Em 5 de dezembro, o exército da tirania surpreendeu em Alegría de Pío a Fidel e seus combatentes. Os revolucionários foram aniquilados, vários foram detidos durante a perseguição e muitos foram assassinados no momento.

Com a valiosa colaboração dos camponeses, Fidel se encontra com Raúl em Cinco Palmas e reagrupa a força revolucionária. Então parte para a Serra Maestra para continuar a partir dali a luta revolucionária.

Em sua condição de Comandante-em-chefe, dirigiu a ação militar e a luta revolucionária das forças rebeldes e do Movimento 26 de Julho durante os 25 meses de guerra.

Depois da derrota contundente das tropas elites da tirania, elas, através de seus principais chefes, decidiram reconhecer a vitória rebelde no próprio teatro de operações da província de Oriente, a 28 de dezembro. No amanhecer de 1 de janeiro de 1959, Fidel encarou, com uma greve geral revolucionária, acatada por todos os trabalhadores, o golpe de Estado na capital da República, promovido pelo governo dos EE.UU., entrou vitorioso nesse mesmo dia em Santiago de Cuba e chegou a Havana em 8 de janeiro.

Ao concluir a luta insurrecional, manteve suas funções como  Comandante-em-chefe. Em 13 de fevereiro de 1959 foi nomeado Primeiro-ministro do Governo Revolucionário.

Em nome do poder revolucionário, proclamou em 16 de abril de 1961 o caráter socialista da Revolução Cubana.

Ocupou a responsabilidade de Secretário-geral das Organizações Revolucionárias Integradas, e mais adiante a de Secretário-geral do Partido Unido da Revolução Socialista de Cuba. A partir da Constituição do Comitê Central do Partido Comunista de Cuba em outubro de 1965, seu cargo foi o de Primeiro-secretário e Membro do Birô Político, onde foi ratificado pelos cinco Congressos do Partido realizados desde essa altura.

Foi eleito Deputado à Assembléia Nacional do Poder Popular, em representação do Município Santiago de Cuba, em seus sucessivos períodos de sessões desde sua criação em 1976, e desde então e até 2008 ocupou os cargos de Presidente do Conselho de Estado e Presidente do Conselho de Ministros.

Durante os anos da Revolução impulsionou e dirigiu a luta do povo cubano pela consolidação do processo revolucionário, seu avanço para o socialismo, a unidade das forças revolucionárias e de todo o povo, as transformações econômicas e sociais do país, o desenvolvimento da educação, da saúde, do esporte, da cultura e da ciência, da defesa, o enfrentamento às agressões externas, a condução de uma ativa política exterior de princípios, as ações de solidariedade com os povos que lutam pela independência e o progresso, e o aprofundamento da consciência revolucionária, internacionalista e comunista do povo.

Depois de renunciar a cargos oficiais, por problemas de saúde, hoje escreve. Por sua autoridade moral, influi em decisões importantes e estratégicas da Revolução.

Fonte: Fidel Soldado de las Ideas

Atualmente estão disponíveis em Português as seguintes obras:

1989 - Dez Discurso no Funeral de Internacionalistas
2000 - Mai Discurso no Dia Internacional dos Trabalhadores
2007 - Jun Mais um Argumento para o Manifesto
2007 - Jul A Tirania Mundial os Fundamentos da Máquina de Matar
2007 - Out Mensagens Enviadas a Milosevic e Sua Resposta
2008 - Jan O Presente dos Reis Magos
2008 - Fev O Candidato Republicano (primeira parte)
2008 - Fev O Candidato Republicano (segunda parte)
2008 - Fev O Candidato Republicano (terceira parte)
2008 - Fev O Candidato Republicano (quarta parte)
2008 - Fev O Candidato Republicano (quinta e última parte)
2008 - Mar Bush no Céu (I)
2008 - Mar Bush no Céu (II)
2008 - Mar A Vitória Chinesa (1ª parte)
2008 - Mar A Vitória Chinesa (2ª parte)
2008 - Jun O Percurso de McCain e o Destino Manifesto da IV Frota
2008 - Jul A Sinceridade e o Valor de Sermos Humildes
2008 - Ago Carne para Canhão para o Mercado
2008 - Out A Lei da Selva
2008 - Out O Insólito
2008 - Out O Analfabetismo Econômico
2008 - Nov O Terceiro Furacão
2008 - Nov A Reunião de Washington
2008 - Nov O Encontro com Hu Jintao
2009 - Mar Os Fatos Dão-me a Razão
2009 - Abr Os Sete Congressista que nos Visitam
2009 - Abr Encontro com Barbara Lee e Outros Membros do Caucus Negro
2009 - Abr Sonhos Delirantes
2009 - Ago É Hora da Análise e da Marcha Unida
2009 - Set O Fim Não Justifica os Meios
2009 - Set Almeida Vive Hoje Mais do Que Nunca
2009 - Set Uma Espécie em Perigo de Extinção
2009 - Set O Obama Sério
2009 - Set Ali é Engendrada uma Revolução
2009 - Out Rio de Janeiro, um Triunfo do Terceiro Mundo!
2009 - Out Os Sinos Dobram pelo Dólar
2009 - Out A ALBA e Copenhague
2009 - Nov A Melhor Homenagem à Mãe de um Herói
2009 - Nov A Anexação da Colombia aos Estados Unidos
2009 - Nov Uma História de Ficção Científica
2009 - Dez Obama era Obrigado a Atuar Cinicamente (Não???)
2009 - Dez Mensagem ao Presidente da República Bolivariana da Venezuela
2009 - Dez A Verdade do que Aconteceu na Conferência de Copenhague (COP-15)
2009 - Dez O Direito da Humanidade a Existir
2010 - Jan O Haiti Coloca a Prova o Espírito de Cooperação
2010 - Jan Enviamos Médicos, Não Soldados
2010 - Mar O Último Encontro com Lula
2010 - Mar Os Perigos que nos Ameaçam
2010 - Abr O IX Congresso da União de Jovens Comunistas de Cuba
2010 - Abr Laços de Irmandade entre a República Bolivariana e Cuba
2010 - Abr As Loucuras de Nossa Época
2010 - Mai A Transcendência Histórica da Morte de Martí
2010 - Mai O Império e a Droga
2010 - Jun O Império e a Guerra
2010 - Jun No Limiar da Tragédia
2010 - Jun Eu Bem Gostaria Estar Enganado
2010 - Jun Saber a Verdade a Tempo
2010 - Jul A Felicidade Impossível
2010 - Jul A Vitória Estratégica
2010 - Ago Israel não Será o Primeiro em Atacar
2010 - Ago A ONU, a Impunidade e a Guerra
2010 - Ago O Governo Mundial (primeira parte)
2010 - Ago O Governo Mundial (segunda parte)
2010 - Ago Será que Exagero?
2010 - Ago Sou Otimista Sobre Bases Racionais
2010 - Ago Estou Pronto para Continuar Discutindo
2010 - Ago O Inverno Nuclear
2010 - Ago O Principal Capítulo do Último Livro
2010 - Ago O Que Jamais Poderá Ser Esquecido (primeira parte)
2010 - Set O Que Jamais Poderá Ser Esquecido (segunda parte)
2010 - Set O Que Jamais Poderá Ser Esquecido (terceira parte)
2010 - Set Se Eu Fosse Venezuelano
2010 - Set O Que Eles Querem é o Petróleo da Venezuela
2010 - Out As Armas Nucleares e a Sobrevivência do Homo Sapiens (primeira parte)
2010 - Out As Armas Nucleares e a Sobrevivência do Homo Sapiens (segunda e última parte)
2010 - Out O Império por Dentro (primeira parte)
2010 - Out O Império por Dentro (segunda parte)
2010 - Out O Império por Dentro (terceira parte)
2010 - Out O Império por Dentro (quarte parte)
2010 - Out O Império por Dentro (quinta e última parte)
2010 - Out O Império e o Direito à Vida dos Seres Humanos
2010 - Out A Sublevação na ONU (primeira parte)
2010 - Nov A Sublevação na ONU (segunda e última parte)
2010 - Nov O Discurso de Evo
2010 - Nov Haiti: O Subdesenvolvimento e o Genocídio
2010 - Nov Sete Dias Sem Mortos pela Cólera
2010 - Nov Notícias da Cólera no Haiti
2010 - Nov O Discurso de Chávez
2010 - Dez O Dever e a Epidemia no Haiti
2010 - Dez A Minustah e a Epidemia
2010 - Dez O Império no Banco dos Réus
2010 - Dez As Mentiras de Bill Clinton
2010 - Dez A Batalha Contra o Cólera
2010 - Dez O Principal Estímulo a Nossos Esforços
2011 - Jan O Quê Diria Einstein?
2011 - Jan Um Ato Atroz
2011 - Jan Sem Violência e Sem Drogas
2011 - Jan O Crime Contra a Congressista Democrata
2011 - Jan Outra Estrela do Tea Party
2011 - Jan O Discurso de Obama em Arizona
2011 - Jan É Hora de Fazer Alguma Coisa
2011 - Jan O Estado da União
2011 - Fev A Sorte de Mubarak está Lançada
2011 - Fev A Rebelião Revolucionária no Egito
2011 - Fev O Plano da OTAN é Ocupar a Líbia
2011 - Fev Dança Macabra de Cinismo
2011 - Mar A Guerra Inevitável da OTAN (primeira parte)
2011 - Mar A Guerra Inevitável da OTAN (segunda parte)
2011 - Mar A OTAN, a Guerra, a Mentira e os Negócios
2011 - Mar Os Dois Terremotos
2011 - Mar Os Desastres que Ameaçam o Mundo
2011 - Mar Certidão de Boa Conduta
2011 - Mar A Aliança Igualitária
2011 - Mar As Verdadeiras Intenções da “Aliança Igualitária”
2011 - Mar Entre a Emigração e o Crime
2011 - Mar A Guerra Fascista da OTAN
2011 - Mar O Desastre do Japão e a Visita de um Amigo
2011 - Mar O Melhor e Mais Inteligente
2011 - Abr O Desfile do 50º Aniversário
2011 - Abr Minha Ausência do Comitê Central
2011 - Abr O Norte Revolto e Brutal
2011 - Abr Um Fogo que Pode Queimar a Todos
2011 - Mai O Assassinato de Osama Bin Laden
2011 - Mai As Mentiras e as Incógnitas na Morte de Bin Laden
2011 - Mai A Insustentável Posição do Império
2011 - Jul Uma Declaração Brilhante e Valente
2011 - Set Chávez, Evo e Obama (primeira parte)
2011 - Set Chávez, Evo e Obama (segunda parte e final)
2011 - Out A Vontade de Aço (primeira parte)
2011 - Out A Vontade de Aço (segunda parte – final)
2011 - Out As Duas Venezuelas
2011 - Out O Papel Genocida da OTAN (primeira parte)
2011 - Out O Papel Genocida da OTAN (segunda parte)
2011 - Out O Papel Genocida da OTAN (terceira parte)
2011 - Out O Papel Genocida da OTAN (quarta parte)
2011 - Out A Façanha de Guadalajara
2011 - Nov O Papel Genocida da OTAN (quinta parte)
2011 - Nov A Reunião do G-20
2011 - Nov A Esmagadora Vitória de Daniel e da FSLN
2011 - Nov Cinismo Genocida (primeira parte)
2011 - Nov Cinismo Genocida (segunda parte e final)
2012 - Jan A Marcha Rumo ao Abismo
2012 - Jan O Melhor Presidente para os Estados Unidos
2012 - Jan A Paz Mundial Pende de um Fio
2012 - Jan A Genialidade de Chávez
2012 - Mar Os Caminhos que Conduzem ao Desastre
2012 - Mar Os Tempos Difíceis da Humanidade
2012 - Abr O Mundo Maravilhoso do Capitalismo
2012 - Abr As Ilusões de Stephen Harper
2012 - Abr A Cúpula das “Guayaberas”
2012 - Abr Realidades Edulcoradas que se Afastam
2012 - Abr Aquilo que Obama Conhece
2012 - Mai O Prêmio Nobel da Paz
2012 - Mai O 67º Aniversário da Vitória sobre o Nazi-Fascismo
2012 - Mai Os Horrores que o Império nos Oferece
2012 - Jun Um Esclarecimento Honesto
2012 - Jun O Que São os Fc?
2012 - Jun Condutas que não se Esquecem
2012 - Jun Teófilo Stevenson
2012 - Jun Deng Xiaoping
2012 - Jun Nicolás Guillén
2013 - Ago As Verdades Objetivas e os Sonhos
   
Seja um Voluntário! Se você deseja colaborar com a construção desta biblioteca, ou deseja iniciar uma nova biblioteca para um autor cujo trabalho contribui de alguma maneira para a compreensão do Marxismo, entre em contato conosco.

Abriu o arquivo 15/08/2016
Última alteração 04/12/2016